# Our family | 10 perguntas difíceis que os miúdos fazem na altura do Natal


Quando temos 5 anos e acreditamos no Pai Natal há perguntas que por vezes nos surgem na mente e que podem colocar os pais em maus lençóis! Este ano, com a esperteza saloia característica da idade, tenho lidado com algumas questões mais difíceis de contornar e que por vezes me deixam sem palavras!
No dia em que fomos ao Almada Fórum assistir ao concerto do Avô Cantigas, surge a primeira:

  • Porque é que algumas pessoas (muitas) levam prendas?
Numa noite fria em que estávamos à lareira a ver televisão depois de jantar:

  • Como é que o Pai Natal desce pela chaminé se a lareira está acesa?
Na sequência da pergunta anterior, surgiram mais...

  • Só deixamos uma cenoura e ele tem tantas renas... não é melhor deixar uma caixa de cenouras?
  • Onde é que renas ficam se o trenó é tão grande?
  • Como é que o Pai Natal sabe que toda a gente está a dormir e entra nas casas das pessoas só nessa altura?
  • E se alguém acordar quando ele está a por os presentes?
  • E a Yoga e o Sushi vêem-no?
  • Se o Pai Natal deixar cá em casa prendas de outro menino como é que faz quando descobrir? Volta cá a casa depois para as vir buscar?
  • E se as prendas que ficarem cá em casa forem muitas, será que eram todas para nós ou ele enganou-se?
E depois de observarem a realidade em casa de algumas pessoa de família ou amigas com hábitos Natalícios diferentes dos nossos:
  • Porque é que há árvores em casa de pessoas que já têm prendas se o Pai Natal ainda não saiu do Polo Norte?
Hoje de manhã, a caminho do colégio, o Daniel perguntava-me como ia ser este ano pois é o primeiro ano que eles estão a dormir no andar inferior da casa, e por estarem mais perto da sala têm maior probabilidade de ouvir o Pai Natal e acordar. A preocupação centrava-se basicamente no que acontecia se acordassem e fossem à sala enquanto o Pai Natal lá estivesse, assumindo à partida que se isso acontecesse ele desaparecia com magia. Eu confirmei que sim, que desaparecia com magia, mas a dúvida foi mais longe. Se isso acontecer, ele depois volta ou já não volta mais? Eu respondi que não voltava mais e aí o tom de voz preocupado adensou-se. Pensou por uns minutos e teve uma ideia! Como a porta do hall que dá para a sala é de vidro, o melhor é pormos uma cortina para que se nós acordarmos e espreitarmos à porta não vimos o Pai Natal na mesma e ele assim não desaparece com magia. Problema resolvido! [Agora tenho que arranjar uma cortina para colocar na porta na noite de Natal!]

Para mim, enquanto o imaginário do Natal durar, é maravilhoso alimentá-lo. Adoro ver a emoção deles na hora de deitar na noite de 24, a expectativa de conseguirem [ou não] acordar para ver o Pai Natal se ele fizer barulho e eles acordarem e o brilho nos olhos quando na manhã de 25 acordam e vêem que têm presentes debaixo da árvore, que no prato das bolachas só há migalhas e um pacote de leite vazio, e que das cenouras para as renas não sobrou nem um rasto.

Por isso, enquanto eu própria tiver imaginação para lhes fornecer razões convincentes para justificar todas as questões e dúvidas que lhes surgem, nesta casa continuará a existir a magia do Pai Natal.

1 comentário:

Cherry disse...

As crianças fazem muitas perguntas, principalmente nesta altura, e por vezes é tramado arranjar resposta para todas elas xD.
Beijinhos,
Cherry
Blog: Life of Cherry