#18 Crónica | Dicas para Pais sobre Rotinas Familiares


Este ano, no inicio do ano "escolar" e coincidindo em cheio com o regresso dos miúdos ao colégio, o pai mudou radicalmente a sua vida profissional. Começou a estar ausente sempre ora de manhã, ora ao final do dia, porque trabalha em regime de turnos. O Daniel e a Carolina sentiram muito esta alteração da rotina, e precisaram de compensar a ausência do pai com novas rotinas que criámos e com a manutenção exigente das mesmas. As rotinas são muito importantes para as nossas crianças e é preciso perceber porquê. Coloquei este tema ao Hugo e eis as dicas que ele me enviou.

As rotinas são um pilar essencial no bem-estar e no bom funcionamento do quotidiano familiar. Por isso, hoje trago-vos algumas dicas sobre este tema:

1. Definir para compreender 

Para melhor compreender o tema, vamos começar por definir o mesmo.

As rotinas definem-se por padrões de comportamentos, ou seja, por acções repetidas. Esta repetição e padronização tem duas grandes vantagens: 

(1) permite a economia de esforço, ou seja, reduz a energia necessária para realizar a tarefa o que permite, por exemplo, a realização de um maior número de tarefas; 

(2) e permite uma sincronização entre actores, ou seja, permite que uma família funcione como uma equipa em campo.

2. Planear, Planear, Planear 

Outra vantagem das rotinas é o planeamento. Como se tratam de padrões podem-se planear e antecipar, com base na experiência.

Apesar de aparentemente planear poder parecer uma perda de tempo e recursos porque bastará a repetição e a modelagem para a aprendizagem da rotina pelos mais novos, na verdade a médio prazo  revela-se um bom investimento.

Quais são as vantagens de planear?

Planear permite antecipar em grupo as acções, o que é vantajoso na rapidez de adaptação a novas rotinas, por exemplo. Permite igualmente a co-participação, onde se inserem modelos de co-liderança ou cooperação. Permite ainda o primeiro passo para a meta-análise, o olhar consciente sobre o automatizado. Permite ainda testar cenários, definir estratégias, comparar hipóteses, entre outros.

3. Avaliar 

Tão importante como planear é avaliar. Avaliar permite não só alcançar as vantagens definidas anteriormente no planear, como igualmente é um importante exercício cognitivo e emocional. E neste último ponto a exercitação emocional é mais importante que a mental. Vejamos porquê.

A avaliação permite lidar não só com a sensação de sucesso, quando a rotina corre como o esperado, mas igualmente com a frustração, quando isso não acontece. E é fundamental para o crescimento e identidade que os erros não sejam vistos com culpa mas como sendo algo que faz parte e que apesar de custarem mais a digerir também são oportunidades de mudança e desafio.

4. Repetir, Ajustar ou Mudar 

Depois da avaliação, surge novo planeamento onde se pode repetir, ajustar ou mudar os padrões de ação da rotina. 

5. Celebrar 

Por fim, não se esqueçam de celebrar os resultados positivos e as conquistas!

Boas rotinas.

Abraço,

Hugo Santos, Psicólogo

Escola para Pais
Psicologo.pt

Sem comentários: