# Our family | Preciso dos meus filhos



Quando os dias correm menos bem, o que me salva do desespero, o que me ajuda a esquecer, a relevar, a colocar as coisas em perspectiva, são os meus filhos! O cheiro deles, os beijos que me dão gratuitamente, os abraços apertados, os "mãe, amo-te para sempre até morreres", os gritos, as lágrimas, as brincadeiras. Os meus filhos, por inteiro, com tudo o que o pacote incluí, mesmo as birras e as teimosias. 


Estas últimas semanas têm sido cheias de desafios, de pedras no caminho que surgem do nada, de onde menos se espera, de imprevistos que nos trocam as voltas e nos deitam a moral abaixo. Ontem fomos jantar com os nossos filhos, cansados da vida, desanimados, desiludidos com as pessoas e com este mundo ingrato em que vivemos, e voltámos de coração apertado pelas despedidas mas rejuvenescidos pela energia que nos transmitem.

Faltam mais dois dias de trabalho e chegam finalmente os dias de férias. Os dias em que não temos horários, responsabilidades, rotinas. Os dias em que fazemos o que queremos, como e quando queremos. Os dias em que estamos 24 sobre 24 horas juntos, só os 4, no nosso mundo. 

Ontem, nas despedidas, a Carolina pedia para ir connosco: "eu podia ir contigo para o teu trabalho mamã, e tu imprimias um desenho para eu pintar e eu ficava lá sossegadinha...". Expliquei que não podia, mas que só faltavam dois dias e depois ficávamos todos juntos durante 21 dias. Abraçou-me e disse: "21 mamã? Obrigada!"

As crianças são mesmo o melhor do mundo!

Sem comentários: