Porque é que as segundas feiras custam tanto?


São as segundas feiras o dia que mais custa. O fim de semana é sempre curto para tanta coisa que queremos fazer, e passa depressa demais. Na segunda feira sentimos que o tempo voou e que não fizemos nem metade do que precisávamos de fazer, nem metade do que prometemos aos nossos filhos que íamos fazer. Este fim de semana não foi excepção, e esta segunda feira sei que vai ser das que custam.




Ao sábado, saímos da cama com ligeireza. Todo um fim de semana pela frente, poucas responsabilidades, poucos horários.

Acordámos mais tarde do que é hábito, saltámos da cama e preparámos um pequeno almoço diferente que saboreámos em família à mesa, com toda a calma do mundo. Depois do pequeno almoço os miúdos brincaram enquanto os adultos arrumaram tudo e de seguida saímos. O tempo não estava radioso mas permitia que saíssemos. Fomos para junto do mar, com patins e bicicletas, e deixámos que brincassem o tempo todo que quiseram. Regressámos a casa para almoçar perto das 15h. Pelo caminho, pediram para mudar o que tínhamos estipulado para o almoço. Queriam hambúrguer no pão para comer com a mão. Parámos para comprar o pão de hambúrguer e batatas fritas, e regressámos a casa para um almoço tardio.











Já em casa e de almoço pronto, pediram para comer no sofá com tabuleiros. Dissemos-lhes que sim, e sentámo-nos os quatro, hambúrguer no prato e sumo de laranja natural no copo, a "A Guarda do Leão" na televisão.


À tarde brincámos, arrumámos coisas em casa, vimos televisão, acendemos a lareira. A Carolina adormeceu e o Daniel foi às compras com a mamã. Adorou o facto de sair sozinho com a responsabilidade de me ajudar. E eu adorei poder dedicar-lhe toda a atenção do mundo só a ele. Fizemos um bolo, lanchámos tarde, e jantámos ainda mais tarde. Com mais brincadeira pelo meio. À noite, já bem tarde, deitámo-nos todos no sofá, junto da lareira, e pusemos um filme: "O Gangue do Parque". O Daniel adormeceu, o papá também, a Carolina não deixou a mamã adormecer porque de cada vez que os olhos se fechavam chamava e dizia que queria alguém para tomar conta dela. Deitámos-nos tarde, mas não faz mal, porque o dia seguinte também é fim de semana!


A manhã de domingo começou tarde. Acordaram os dois pouco depois das 10h30. Queriam fazer xixi. O papá já tinha saído para andar de bicicleta, e eles quiseram ir para baixo para comer. Queriam "esses" e leitinho. Descemos os três e tomámos o pequeno almoço. Depois de comer ainda tivemos um bocadinho no sofá e tiraram estas fotografias eles mesmo, para mostrar ao papá quando ele chegar!



Aproveitei o resto da manhã para os deixar brincar à vontade e enquanto isso mudei roupas de cama, estendi e apanhei várias máquinas de roupa, arrumei a casa toda e ainda consegui arrumar alguns dos meus armários por dentro, tirar peças de Inverno que já não uso e optimizar a arrumação. O almoço estava programado para tarde porque o papá chegava tarde e como o pequeno almoço foi por volta das 11h não íamos ter fome mais cedo. 


Depois de almoço, já quase a meio da tarde, pediram para fazer um cinema. Fechámos as janelas todas, acendemos a lareira, fizemos pipocas e instalámo-nos. O filme escolhido foi "Shrek para sempre" o 4.º filme da saga do Ogre mais famoso de sempre. Eles viram atentamente, eu dormitei uns bocadinhos. Quando o filme estava a uma meia hora do final. chegaram a avó e o tio Gabriel. Tínhamos combinado um lanche ajantarado e os primeiros convidados chegaram  tempo de ver parte do filme connosco.

Depois do filme foi impossível manter a calma cá por casa, porque a verdade é que sempre que a Carolina e o Daniel se juntam ao tio Gabriel, tudo pode acontecer! Brincaram, desarrumaram, arrumaram, desarrumaram outra vez e voltaram a arrumar. Pararam para jantar, todos sentados à mesa com muito por onde escolher e depois de comerem regressaram às suas brincadeiras.


Deitaram-se já passava das 22h, felizes pelo fim de semana bom que tinham tido, e a perguntar porque é que amanhã temos que ir trabalhar e eles à escola. O sentimento é mútuo. Os fins de semana não deviam acabar assim tão depressa.

Porque é que as segundas feiras custam tanto? É simples! Porque os fins de semana são tão bons que não queremos que acabem nunca!

1 comentário:

Xica Maria disse...

Foi um fim de semana em grande!!