O nosso Natal e as tradições que construímos!


O Natal é sempre mais divertido quando há crianças! Isso é ponto assente, venha quem vier! Há toda uma magia em redor do jantar de Natal, da emoção dos presentes, seja qual for a tradição familiar. Nós só abrimos presentes na manhã do Dia de Natal. Jantamos em nossa casa, em família e depois de todos dormirem, vem o Pai Natal e deixa presentes no sapatinho. Mas a cada ano torna-se mais difícil cumprir a tradição.

Este ano, no dia 24 de manhã, como o pai foi andar de bicicleta, saímos os três. Fomos até à Serra, a uma zona onde sabia encontrar o que queria, para colher algumas ramagens para compor o nosso centro de mesa de Natal. Apanhámos ramagens de duas qualidades diferentes, ambas com bagas vermelhas, e ainda uns pauzinhos de galhos de árvores secos que estavam cobertos de musgo e líquenes para colocar num dos presépios. Eles adoraram [claro!]. No regresso a casa parámos a comprar umas velas, e quando chegámos a casa deitámos mãos à obra e construímos o nosso centro de mesa de Natal!


Depois do almoço deitaram-se a dormir a sesta, porque à noite queriam ficar acordados até mais tarde para tentarem apanhar o Pai Natal! Dormiram eles, e dormimos nós! O facto de termos a Carolina doente fez-nos passar várias noites quase em branco e o cansaço começa a apertar, pelo que basta sentar 5 minutos no sofá e já está! Quando eles acordaram lancharam. e lá começámos os preparativos para a Consoada! Lareira acesa, casa arrumada, decoração feita e jantar orientado. Hora de pôr a mesa! Escolher quais as peças do serviço de Natal que queremos usar, onde colocar o centro de mesa, onde montar a mesa de doces, entre outros pormenores. Os miúdos já com a excitação do Natal, quiseram ajudar, e era vê-los escada acima-escada abaixo de talheres e copos nas mãos!


O resultado final foi este! Juntamente com o nosso serviço de Natal da vista alegre, misturámos copos de cristal da Christofle com uns copos pretos de vinho que recebemos de presente de Natal no ano passado. Os talheres são os que usamos sempre em dias de festa, de design diferente, que tenho há anos e adoro! Colocámos o centro de mesa no fundo da mesa, para que ao centro se colocassem as travessas de modo a que todos lhes chegássemos, uma vela linda da Rituals para nos trazer um maravilhoso cheirinho a canela e laranja, e os guardanapos natalícios da Renova. O que acham? Ficou gira não ficou? Não somos fãs de produções em demasia, mas gostamos de uma mesa de Natal simples e com apontamentos que marquem a diferença, por isso todos os anos fazemos alguma coisa diferente, normalmente com elementos apanhados na natureza, para que se torne uma mesa única.


A ementa não foi nada do outro mundo, até porque todos os anos acabamos por sentir que comemos mais do que devíamos e decidimos sempre que no ano que vem vamos ter menos comida. [Ainda assim, este ano apesar de mais uma redução quantitativa da quantidade de comida, voltámos a comer demais!]. Uma tábua de queijos, pães diversos, broa e tostas, frutos secos e tâmaras nunca faltam! A nossa tradicional sopa de castanha [cuja receita podem ficar a conhecer aqui], que nunca pode faltar na mesa de Natal, e que desconfio que é a verdadeira responsável por ficarmos tão empanturrados. Seguiu-se um bacalhau espiritual que estava uma delicia, mas do qual pouco comemos [claro], e depois as 1001 sobremesas! Todos os anos reduzimos as sobremesas, mas todos os anos temos muito mais do que realmente nos fazia falta na mesa! Este ano tivemos um Bolo Rei [porque gostos à parte, faço sempre questão de ter Bolo Rei no Natal!], Uma tarte de amêndoa [destas maravilhosas], Azevias de batata doce e de grão, que encomendo sempre a uma senhora de confiança e que são uma delícia, umas broas de batata doce que encomendei ao senhor a quem costumo comprar os biscoitos e que costuma ir uma vez por semana ao meu trabalho vender bolinhos, e uns bolinhos que já começam a fazer parte da tradição da nossa família no Natal. Sabem aqueles doces Algarvios de Maçapão? Agora imagem-nos em figuras de Natal. Já há alguns anos que a minha sogra encomenda estes bolinhos no Natal, e fazem as delicias de todos, em especial dos miúdos que adoram comer as figurinhas! Outra das coisas que nunca falta é a Tarte de Natas, a sobremesa de eleição do marido, que pede sempre à mãe que faça! Tudo isto, regado com um bom vinho! Este Natal decidimos abrir uma garrafa especial, que tínhamos guardada há algum tempo, de um vinho excepcional: "Preta 2011" da Fita Preta Vinhos. Muito bom! E foi isto! Sem mais doces, sem mais pormenores, sem mais detalhes!




Depois do jantar sentámo-nos no sofá junto da lareira, fomos seguindo o percurso do Pai Natal pelo Santa's Tracker do google, que já usámos no ano passado, até que os miúdos começaram a quebrar, e chegou a hora de os deitar. Cada um foi buscar uma bota, colocaram-nas junto da árvore, prepararam um pratinho com um biscoito [este ano escolheram uma fogaça], um pacote de leite [em vez do tradicional copo de leite simples optaram por um pacote de leite com chocolate!] e uma cenoura para as renas, e ainda quiseram deixar um guardanapo para ele limpar a boca [podem ver o vídeo aqui] e foram para cama. Claro que, a excitação era bastante, e demoraram a adormecer. Ainda voltaram a sair da cama e a aparecer na sala a perguntar o que era o barulho que ouviram, porque pensaram que podia ser o Pai Natal! Mas lá cederam ao cansaço e adormeceram! Depois de nos assegurarmos que já dormiam, lá fomos tratar de deixar rasto da presença do Pai Natal, com leite bebido e migalhas no prato, e colocar os presentes nos sapatinhos!


Na manhã seguinte acordaram perto das 9h. Ele foi o primeiro, veio enfiar-se na nossa cama, disse logo que era Natal, e perguntou se o Pai Natal tinha ido lá a casa de noite. Dissemos que quando a irmã acordasse íamos ver, e ele lá se aguentou, mas a irmã apareceu logo de seguida e aguentar os dois na cama já era pedir demais! Ele foi o primeiro a saltar da cama, foi até à porta e espreitou para baixo para ver se havia presentes. Até aquele momento, ainda estavam os dois na expectativa de saber se o Pai Natal tinha realmente passado por lá! Viu que havia presentes, e regressou ao quarto com um ar feliz e a dizer à irmã:

"Mana ele veio! Tá presentes debaixo da árvore. E olha que são bastantes!"

E lá descemos com eles, para abrirem os presentes. Não receberam muitas coisas, mas ficaram os dois felizes com todos os presentes. Não escolheram um preferido, e quando questionados disseram que o Pai Natal tinha trazido mesmo o que eles queriam. O presente que receberam em maior número foram livros, que adoram, e gostam de receber! [E que assim continuem!]



Tomámos o pequeno almoço em família, na mesa de Natal [um detalhe que eles gostaram] e depois de despachar, saímos para passar o dia de Natal em família. Juntámos-nos todos, almoçámos, brincámos, conversámos. Os ares do campo fazem-nos ficar mais bem dispostos e o dia esteve lindo pelo que os miúdos brincaram imenso na rua e divertiram-se, que é o que realmente é importante!


Regressámos a casa já ao Pôr do Sol, pijama vestido, sofá e lareira acesa, muitos jogos e brinquedos novos, e o resto do dia dedicado a dar-lhes atenção, a brincar com eles, a usufruir apenas de estarmos juntos.


Se já me costumam ler há mais tempo, já sabem que nestes dias prefiro não passar o tempo a tirar fotografias, e antes dar lugar a viver realmente o Natal em família! Por isso, por aqui, não há fotografias de família, nem das roupas, nem dos presentes. Há algumas [poucas] que me fui lembrando de tirar, e que servem para vos mostrar um pouquinho do que foram estes dois dias para nós! Porque mais do que nunca, o que importa mesmo no Natal, é vivê-lo junto de quem gostamos!


Sem comentários: