Quem teve um bebé prematuro ponha o dedo no ar!

[Daniel com 24 horas]

Chegando o 17 de Novembro, todos os anos me repito e falo do mesmo assunto! Que me desculpem os seguidores mais antigos, mas a verdade é que mesmo que me torne maçadora, vou continuar sempre a falar sobre este tema, que fui forçada a conhecer na primeira pessoa numa madrugada de Junho de 2012. Hoje celebra-se o dia Internacional da Prematuridade.


Com 33 semanas de gestação, o meu filhote, já a mostrar a sua personalidade vincada, decidiu que queria nascer. Quase 24 horas depois de ter rebentado as águas, nasceu, de parto natural, sendo que a irmã, que não concordou com ele nesta história de nascer antes de tempo, só veio ao mundo 2 horas depois e por cesariana. Fisicamente, sofri bastante com isto, e fiquei internada 1 semana. No dia em que saí do hospital, os meus filhos ainda lá ficaram, e foi sem dúvida o dia que mais me custou. Sair e deixá-los foi um golpe que nunca vou esquecer.

 [Carolina com 48 horas]

 [Daniel com 72 horas]

Os meus filhos eram saudáveis, não tinham complicações de saúde, não ficaram com qualquer sequela pelo facto de terem nascido prematuros. Eram pequeninos, não tinham peso para apanhar vacinas e não tinham autonomia alimentar, ou seja, não sabiam mamar. Foram precisas duas semanas para que se tornassem fortes e autónomos o suficiente para irem para casa comigo. Mas, a esmagadora maioria dos bebés prematuros têm complicações, tem que travar duras batalhas e nem sempre ganham.

[Carolina com 24 horas]


“XXS – XXL: Pequeno no tamanho, Grande na missão” é mote da campanha que a XXS - Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro lança este ano, e que pretende alertar para a realidade dos nascimentos prematuros e contribuir para dotar as Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais de todo o País de equipamentos necessários e adequados a estes bebés para a promoção do vínculo afectivo com os pais. A XXS apela a todas as empresas e particulares que ajudem na angariação de material de conforto e promoção de vínculo afectivo necessário para os cuidados neonatais. Máquinas de extracção leite, kit de ninho ou até cadeirões e bandas kanguru, são algumas das ofertas solidárias que se poderão efectuar. Se clicarem aqui podem ver a lista de hospitais e tipo de material necessário, para que possam escolher aquele para o qual contribuir. Fazem parte desta campanha cerca de 20 Hospitais a nível nacional, como o São Francisco Xavier, Centro Materno Infantil do Norte, Hospital de Faro, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, entre outros. 

Em Portugal, nascem por ano 9 mil bebés prematuros e 10% ficam internados, em média, 60 dias em Unidades de Cuidados Intensivos. 9 em cada 100 bebés nascem com menos de 37 semanas de gestação, e 1% dos recém-nascidos tem menos de 1.500 gramas. Os prematuros representam 1/3 da mortalidade infantil no nosso país. As crianças que nascem antes do tempo têm problemas específicos que exigem apoios especializados.

[Daniel com 24 horas]

Este vídeo fez-me ficar arrepiada e de lágrimas nos olhos e reviver aquelas duas semanas em que os meus filhos estavam longe de mim. Psicologicamente foi avassalador, marcou-me para sempre. E se foi assim com um final feliz, nem imagino quando assim não é...


Por isso, hoje não sou eu que vos peço, mas o Daniel e a Carolina, que passaram por esta experiência, que tiveram ao lado deles nas suas primeiras semanas de vida bebés que travaram lutas inimagináveis para conseguirem viver. Por eles, e pelos que todos os dias um pouco pelo mundo perdem esta batalha. Vamos ajudar?

[Daniel e Carolina com 1 semana]

1 comentário:

Saltos Altos Vermelhos disse...

Sei muito bem o que isso é ♥ comigo foi só com uma mas igualmente avassalador! ♥