Setembro | Mês de sensibilização para o cancro infantil

Setembro já vai adiantado, mas nunca é tarde para vos falar deste tema! Sabiam que estamos em pleno mês de Sensibilização para o Cancro Infantil? A Acreditar e a Fundação Rui Osório de Castro juntam-se para fazer chegar mais longe a voz de apoio às crianças, jovens e suas famílias. Já partilhei aqui no blog inúmeras vezes acções ligadas a esta fundação e a este tema, e para mim, são sempre acções a partilhar, porque hoje são os filhos dos outros, mas amanhã podem ser os nossos. [mesmo que não queiramos sequer imaginar isso!]

A Fundação Rui Osório de Castro, é uma instituição de solidariedade social sem fins lucrativos que apoia a oncologia pediátrica nas áreas da informação e da investigação científica. 

No âmbito do mês internacional da sensibilização para o cancro infantil, a Fundação Rui Osório de Castro e a Acreditar promovem a campanha “Não fico indiferente”, uma iniciativa que visa chamar a atenção da população para a problemática do cancro infantil através da partilha, nas redes sociais, da imagem do laço dourado (que simboliza o cancro pediátrico) e da publicação de testemunhos na primeira pessoa.

Paralelamente a Câmara Municipal de Lisboa, num gesto solidário, aceitou o desafio da Fundação Rui Osório de Castro e da Acreditar e decidiu contribuir para esta campanha iluminando em tons de dourado, durante todo o mês de Setembro, a estátua de D. José I no Terreiro do Paço, em sinal de apoio às crianças que sofrem de doenças oncológicas.

Em Portugal, a Fundação Rui Osório de Castro e a Associação Acreditar, instituições que têm desenvolvido em conjunto um trabalho proactivo na área da pediatria oncológica, no sentido de fomentar o debate social e a informação e consciencialização para a causa da oncologia pediátrica, permitindo desmistificar as questões associadas à doença.

Por tudo isto, venho lançar-vos um desafio! Só precisam de fazer uma coisa muito simples. Clicam aqui e acedem a um link que vos vai permitir alterar  a vossa fotografia de perfil do facebook. A vossa fotografia passará assim a ter o laço dourado, e a prestar homenagem e apoio a esta causa.

Eu já fiz, e a minha imagem de perfil até ao final deste mês vai ser esta! Vamos criar uma onda de apoio e solidariedade?

1 comentário:

Ana Marques disse...

Esta noite ao ver o meu bebe dormir, chorei. Chorei durante quase uma hora. Pensei no que faria se algo de mal lhe acontecesse. Nao iria conseguir suportar. Nao iria conseguir sobreviver. Mas tantos (infelizmente) pais conseguem. Têm que dar a volta por cima, têm que se agarrar a algo. Aposto que todos eles vêm a sua vida a desmoronar, estes pais coragem. Eu também conseguiria? Não sei. E espero nunca saber. Perder um filho é anti natural. Algo que nao deveria ser possivel acontecer. Quando planeamos os nossos filhos não imaginamos estas coisas horriveis. Será que fiz bem em ser mãe? Será que os paia cujo os filhos estao doentes pensam nisso? Não ter filhos com medo que algo lhes aconteça é descabido. Ou não? Será que ha pessoas que pensam assim? Em como será ingrato, injusto e egoista trazer alguem ao mundo onde há guerras? Ou onde há doenças incoraveis?
Ficaria com cada dor do meu bebe sem pensar duas vezes. Trocaria cada mau estar dele para mim, mil vezes pior. Somos mães. Deveriamoa conseguir fazer isso certo? Porque é que a natureza não nos deixa?