Ensinar as crianças a... "apenas respirar"



As crianças também se zangam! Desde cedo. Sentem que há coisas de que não gostam, coisas que os chateiam, que os irritam, que os fazem ficar zangados. Zangam-se com eles mesmo, com os amigos, os irmãos, os adultos. Zangam-se como um adulto, embora reajam de maneiras diferentes, embora muitas vezes... não saibam gerir verdadeiramente a emoção que sentem.


Neste curto filme de quatro minutos, as crianças falam sobre como lidar com as emoções e com a meditação e sobre técnicas de respiração. Os cineastas Julie Bayer Salzman e Josh Salzman criaram “Just Breathe” com os seus filhos, colegas e membros da família numa tarde de sábado. A escola das crianças introduziu meditação aos alunos.

“O filme é totalmente improvisado”, diz Julie. “O que as crianças dizem é baseado puramente em seu próprio entendimento de emoções difíceis, e como eles lidam com elas através da respiração e meditação.


Cá em casa, há com frequência momentos em que o Daniel e a Carolina se zangam. A forma como o exteriorizam passa por gritar, bater, atirar coisas para longe. Depende da situação que os irrita, depende do tipo de frustração que sentem. Tento muitas vezes pedir que se acalmem, agarrá-los, abraçá-los [nem sempre consigo! Ás vezes quem tem que respirar fundo sou eu!]. Tento que percebam que as reacções que têm quando estão irritados não os ajudam, não resolvem o motivo da irritação e muitas vezes só aumenta a frustração que estão a sentir. Claro que, com 3 anos, nem sempre o percebem, nem sempre o aceitam e nem sempre me ouvem!

Este filme deixou-me a pensar. Deixou-me com vontade de os testar, de os pôr a falar sobre o que sentem quando se zangam. De lhes pedir que me descrevam esses sentimentos. Como se de uma espécie de terapia se tratasse. Será que consigo fazê-lo?

Vamos começar de onde estamos. E vamos começar com o que somos. Não adianta querer ser outra pessoa, não é bom fantasiar sobre como seria se fôssemos assim ou assado. Temos que começar do aqui e do agora, na situação em que estamos. Temos que lidar com nossa família, com os amigos e com todos que encontramos. Esse é o desafio. Às vezes evitamos as circunstâncias atuais e achamos que seguramente encontraremos a situação perfeita em algum outro lugar. Mas isso nunca vai acontecer. Nunca haverá um momento e um lugar ideais, porque levamos conosco a mesma mente a todos os lugares. O problema não está lá fora, em geral o problema está dentro de nós. E por isso precisamos cultivar a transformação interior. Uma vez que tenhamos desenvolvido a mudança interna, podemos lidar com o que quer que aconteça.” 
Jetsunma Tenzin Palmo no livro NO CORAÇÃO DA VIDA

Sem comentários: