Cuidar de mim!

Numa fase em que me ando a sentir em baixo, a ceder à exaustão, às longas noite de trabalho, às poucas horas de sono. Em que começo a ceder cada vez mais à necessidade de parar, de desligar, de esquecer tudo, há dias em que me sinto a desanimar. Há dias em que sinto que tudo o que me apetecia era dormir uma semana inteira, esquecer tudo e "fugir". Ontem, numa conversa com a minha filha de manhã, disse-lhe que o que me apetecia mesmo era ficar em casa e dormir até há hora de almoço. Ela do alto da sua inocência respondeu-me: "Até há hora de almoço mamã? Mas isso é tanto!". Mas a verdade é que a velocidade a que os acontecimentos se sucedem, se já cuidava pouco de mim, cada vez o tenho feito menos.

"Jada Smith, a esposa do conhecido actor Will Smith, define a maturidade parental de uma forma extraordinária. Ela diz que ser-se mãe é um grande paradoxo. Um paradoxo é quando dois contrários são verdade. Diz ela que ser mãe é procurar um equilíbrio onde é possível ser-se pessoa, ter os seus desejos e ambições e, ao mesmo tempo, estar disponível para ajudar os filhos e os maridos a atingirem os seus. É querer ter a liberdade para fazer o que lhe apetece conciliando essa liberdade com os seus deveres enquanto mãe, esposa e pessoa. E isso é muito difícil e exigente.

Tratar de nós é das coisas mais importantes que podemos fazer porque quando esquecemos de saber tratar de nós, então perdemos o tal equilíbrio e esquecemos de como é tratar dos outros. Como é que podemos tratar e escutar os outros - nomeadamente os nossos filhos - quando não nos conseguimos escutar?

Corremos o sério risco de nos tornarmos amargos e injustos quando dizemos que deixamos de fazer A ou fizemos B por causa dos filhos ou dos maridos. Não temos o direito de passar essa responsabilidade aos outros quando a decisão é nossa. A verdade é só uma: quando chegamos a este ponto, deixamos de saber como é tratar da nossa felicidade. Pensa nisto com carinho e olha de frente para a tua realidade. Junta-te a quem te quer bem e começa a tratar de te pôr em equilíbrio."

in Berra-me Baixo - 21 dias para deixares de berrar com o teu filho

Preciso urgentemente de tratar de mim, de desligar a cabeça, de esquecer a aceleração em que tenho andado e apenas... descansar! Sugestões?

2 comentários:

Xica Maria disse...

Quando me sinto assim o remédio é tirar uns dias de férias, ou pelo menos um fim de semana mas na realidade não chega. Sempre que tiro uns dias fico nova.

Isa disse...

A minha sugestão é deixar alguma coisa pelo caminho. Em termos de tempo livre às vezes simplesmente não é possível responder a todas as solicitações! Priorizar e eliminar o acessório... Boa sorte! Descansar! Beijinhos