Ecorkhotel: Um pequeno paraíso, aqui tão perto...

[Foto daqui]

No primeiro fim de semana deste Abril chuvoso, rumámos ao Alentejo. O principal propósito, foi participar num evento desportivo. O destino final, uma pequenina vila do Concelho do Alandroal chamada Terena. E se no ano passado regressámos a casa no mesmo dia, este ano decidimos passar uma noite pela zona. Andávamos há muito tempo com vontade de experimentar o Ecorkhotel, em Évora, pelo que, através da Odisseias, avançámos com a ideia!


Chegámos no sábado, já por volta das 18h, e apenas para deixar as malas, bicicleta, e tomar um duche rápido, pois tínhamos que regressar a Terena para o jantar convívio do evento. Já tínhamos passado inúmeras vezes pelo início do caminho de acesso ao hotel, mas nunca tínhamos ido até lá. Não foi preciso muito para sentirmos que estávamos a ser "transportados" para muito longe da civilização. Embrenhámo-nos no campo, e tudo o que ouvíamos eram rebanhos de ovelhas, tudo o que víamos eram azinheiras, oliveiras e sobreiros, e de longe em longe, uma ou outra casas de quinta. Entrámos na propriedade do hotel, estacionámos o carro, e olhámos à volta. À nossa esquerda, o edifício principal do hotel, que como o nome indica, é completamente revestido a cortiça, um elemento natural, predominante da zona e que tem excelentes propriedades em termos de isolamento acústico e térmico. À nossa direita, a zona das suites, pequenas casinhas cúbicas, com uma arquitectura simplista e ecológica, e perfeitamente integradas no ambiente em redor. Toda a propriedade respirava tranquilidade. Exactamente aquilo que estávamos a precisar!


Fizemos o check-in, pedimos a password do Wi-Fi [coisa que não existe, pois segundo o simpático recepcionista, não precisa de ter password porque a vizinhança não tem por hábito "roubar" internet] e seguimos para a nossa suite. Confesso que quando abrimos a porta ficámos surpreendidos. Não fazíamos ideia do que nos esperava, e encontrámos uma suite enorme, com uma sala e um quarto super luminosos, ambos virados para o terraço, e super bem equipados. Cada suite tem o seu próprio router, pelo que temos wi-fi com um sinal tão bom [ou melhor] do que o de casa! A casa de banho, em pedra e madeira, tem um duche enorme onde podemos tomar banho os dois ao mesmo tempo sem nos acotovelarmos! Estivemos pouco tempo por lá, pois tínhamos mesmo que ir para o jantar do evento, mas naquele momento, ficámos com pena, e com muito mais vontade de ficar por ali, jantar e passear. Quando regressámos ao hotel, já bastante tarde, o cansaço era tanto, que rapidamente nos deitámos e adormecemos.

Na manhã seguinte acordámos tarde, e com a sensação de termos dormido uma semana inteira. Não sei dizer se era pelo silêncio, pela tranquilidade, ou pela cama e pelas [maravilhosas!] almofadas de penas, mas a verdade é que dormi uma noite como há muito tempo não dormia! Acordar ali, naquele ambiente tão Zen, e poder simplesmente ficar na cama, de cortinados abertos, a ver a paisagem pela nossa janela soube tão bem! De sublinhar, que se o pudémos fazer, foi porque no ecorkhotel o pequeno almoço é servido até às 11h! Uma coisa difícil de encontrar em hotelaria e que para mim, faz tantooooo sentido!


Levantámo-nos já perto das 10h30, vestimos qualquer coisa e seguimos para o pequeno almoço. A sala, com uma decoração em tudo semelhante aos restantes espaços comuns, e uma parede inteira de vidro, a deixar ver o rebanho que pastava lá fora, fazia apetecer ficar por ali, comer com toda a calma, respirar fundo e simplesmente usufruir. E foi o que fizémos!



Sentámo-nos por uns minutos apenas a apreciar o ambiente, e depois fomos então ao pequeno almoço. Iogurte natural, frutas, muesli e granola, uma enorme variedade de sumos naturais e néctar compal de diversos sabores, pães, croissants e ovos, e claro, o café, o leite, o chá. Tomámos o nosso pequeno almoço com toda a calma, numa sala com muito pouca gente e um simpático atendimento. Quando chegaram as 11h, fomos informados de que o pequeno almoço terminou, mas que poderíamos ficar o tempo que quiséssemos para terminar a nossa refeição. Não houve o habitual bulício de levantar tudo em tempo record, ou os olhares pouco simpáticos que indicam que querem pôr as mesas para o almoço e nós estamos ali a atrapalhar. Ficámos apenas nós e outro casal na sala, o tempo que precisámos, sem nos sentirmos pressionados para sair. Claro que, não ficámos por lá muito mais tempo, mas sentimos que se o quiséssemos fazer continuávamos a sentir-nos bem ali!




Depois do pequeno almoço, fomos passear pelo hotel, para conhecer as instalações, as piscinas, as diversas áreas comuns e salas. Terminado o passeio, passámos na recepção para saber se havia a possibilidade de fazermos late-checkout, e obtivemos resposta positiva sem qualquer hesitação. Este é outro dos pormenores que normalmente é difícil de se conseguir nos hotéis, e quando se consegue, na maioria das vezes exige pagamento de tarifa extra. Aqui, a receptividade foi total, e viabilizou a nossa ida à piscina interior. 




Tínhamos vindo prevenidos com fato de banho, mas esquecemo-nos das toucas, mas havia no hotel para venda e foram-nos rapidamente disponibilizadas. Passámos no quarto para mudar de roupa, e fomos para piscina.


Estivemos a maior parte do tempo sozinhos. A piscina, à semelhança da sala de pequeno almoço, tem também uma parede de vidro que nos permite ter luz natural e ver a paisagem típica alentejana. A água estava a uma boa temperatura e estava-se bem por ali! Mas, infelizmente, era domingo, tínhamos dois filhos à nossa espera, e no dia seguinte era dia de trabalho, pelo que não podíamos continuar muito mais tempo naquela bolha de bem estar onde nos encontrávamos. Regressámos aos balneários, onde tive mesmo que tirar uma fotografia aos cacifos porque adorei o efeito dos porta chaves originais que escolheram, voltámos ao quarto, tomámos duche, arrumámos tudo e fomos embora.



Soube a muito pouco, e ficou muito por fazer. Queremos sem qualquer sombra de dúvida regressar! Queremos experimentar o SPA, queremos fazer um jantar romântico, queremos passear a pé. Queremos acordar de manhã e sair para uma corrida pela zona, voltar para um  duche, e depois, revigorados, seguir para o maravilhoso pequeno almoço. Queremos sair da piscina depois do pequeno almoço, e fazer um almoço ligeiro no páteo, para depois passarmos pelo SPA e fazermos uma massagem a dois. Mais tarde, queremos fazer mais um jantar a dois no restaurante [onde apesar de não termos feito nenhuma refeição para além do pequeno almoço, espreitámos a carta, que nos agradou imenso!], e depois, ficar a ler numa das salas comuns, antes de regressarmos novamente os dois para a nossa suite.


Se vos andar a apetecer dar um passeio para o Alentejo, considerem esta opção, porque asseguro-vos, que já passei por muitos hotéis, mas poucos têm a simpatia, o cuidado, a atenção e as instalações que este tem! Para mim, a classificação de 4 estrelas fica aquém do serviço prestado, e já estive em hotéis com classificação 5 que ficavam a anos luz deste! Se me perguntassem agora, se queria ir dormir fora logo à noite e onde, responderia sem hesitação: No Ecorkhotel!

Obrigada Odisseias por mais esta maravilhosa experiência, num local maravilhoso onde nos sentimos mesmo numa verdadeira cápsula de tranquilidade!

Sem comentários: