A morte fetal ou neonatal. Uma realidade dura.

[Imagem daqui]

Nem todos sabemos o que é perder um filho. Felizmente! Mas de certeza que todos temos esse medo. Nenhum pai nem nenhuma mãe devem perder um filho. Nunca. Seja ele de que idade for.

A Ana Mourão estuda no 2.º ano do Mestrado de Psicologia Clínica e da Saúde na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, e está a desenvolver um trabalho de investigação, intitulado "Impacto de uma morte fetal ou neonatal nos homens: percepção masculina e feminina". Este estudo tem como principal objectivo estudar o impacto de uma morte fetal ou neonatal nos homens, considerando a perspectiva de ambos os membros do casal.
Pretende, com este estudo, contribuir para um melhor conhecimento sobre este tema, sendo necessário, para tal, questionar casais que tenham perdido um filho por morte fetal ou neonatal (ou seja, durante a gravidez ou durante os primeiros 28 dias após o nascimento). Ao conhecer as necessidades e reacções dos homens que lidam com esta experiência, podem ser desenvolvidas intervenções psicológicas mais adequadas e eficazes.

As informações serão recolhidas através de questionários disponíveis online em https://ana308.typeform.com/to/OXx39a (versão feminina) 

A investigação é orientada pela Prof.ª Bárbara Nazaré, sendo o resultado apresentado na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, até ao final do ano de 2016.

Se este é o vosso perfil, por favor respondam ao questionário da Ana. A vossa experiência, embora dolorosa, pode ajudar outros pais e mães que passem pelo mesmo. Em nome da Ana, que me pediu ajuda, obrigada!

Sem comentários: