Sim! Somos super mulheres!

Temos um trabalho das 9h às 17h, e quando saímos de casa de manhã, já deixamos a casa arrumada, roupa estendida, jantar a descongelar, a máquina da loiça a lavar. Já tomámos duche, fizemos camas, fizemos papas de aveia com banana e canela para o pequeno almoço dos adultos e cerelac para o pequeno almoço das crianças.

Saímos de casa de salto alto, maquilhadas, perfumadas e prontas para enfrentar um dia cheio. Não paramos nem por um segundo durante o dia. Excepção feita aos segundos que perdemos na casa de banho para fazer xixi, entre dois emails enviados e três telefonemas respondidos.

Ao fim do dia saímos do trabalho, passamos no supermercado, vamos buscar os miúdos à escola e vamos para casa. Fazemos jantar, damos banhos, apanhamos a roupa que secou durante o dia,  e dividimos entre a que se arruma logo e a que fica para passar a ferro. Preparamos outra máquina para lavar durante a noite. Pensamos no que levar nas marmitas do dia seguinte e pomos logo a fazer. Tratamos dos gatos e das tartarugas. Escolhemos as roupas para vestir no dia seguinte, e já de lareira acesa e toda a gente despachada, jantamos em família.

Depois de jantar, arrumamos a cozinha, acabamos a preparação das marmitas, damos um jeito no quarto dos brinquedos, e subimos. Hora de abrir camas, lavar dentes, tirar a maquilhagem e as lentes de contacto. Depois dos miúdos na cama, sentamo-nos ao computador, e agarramo-nos ao trabalho. Ao outro, o que fazemos por puro prazer, mas que nos consome tanto ou mais tempo que o primeiro. Deitamo-nos tarde. Muito tarde. Dormimos poucas horas, e quando de manhã o despertador toca, o nosso primeiro pensamento, é que não apetece. Mas levantamo-nos, porque tem que ser, e começa tudo outra vez.

E se somos operadas a uma 6.ª feira, na 2.ª feira, entre Nolotil e Brufen, e a caminhar mais devagar do que é hábito, vamos trabalhar! E a recuperação faz-se na mesma! Mesmo sem podermos baixar-nos para beijar os nossos filhos, ou pegar-lhes ao colo. Mesmo se precisamos de ajuda para apertar o fecho das botas antes de sair de casa.

[Não obstante, contamos com a ajuda do homem da casa, mas hoje, não é dele que se trata, porque é Dia da Mulher!]

Precisam de mais provas?

Sem comentários: