Quando as crianças nos interpretam à letra!

O Daniel e a Carolina, donos de um cada vez mais vasto vocabulário, querem sempre opinar sobre tudo, perguntar tudo, e têm sempre um novo argumento ou uma nova questão para nos colocar. A curiosidade natural de uma criança de três anos, aqui por casa, é potenciada ao dobro, pois um puxa pelo outro e querem sempre colaborar nas nossas tarefas e perguntar todos os detalhes sobre tudo  o que se passa à volta deles! Por vezes, acontecem coisas dignas de nota, quer porque um dia mais tarde me vou querer recordar delas, quer pela piada que têm!


No fim de semana, estava a fazer gelatina, na fase em que dissolvia o pó na água a ferver, e a Carolina, que estava sentada na cadeira dela na mesa da cozinha a brincar, levantou o pescoço, espreitou, e achou que lhe agradava! Imediatamente oiço a vozinha dela:

" C - Mamã ixo é o quê?"
Eu sorri, e respondi-lhe:
" Eu - Línguas de perguntador!"
Responde-me com um sorrisinho malandro...
" C - Mamã eu goxto de línguas do tadôr. Poxo pová xó um bocadinho? Poxo?"

Claro que me fartei de rir, e tive que lhe explicar que estava a brincar, que aquilo era gelatina mas estava muito quente e tinha que ir para o frigorífico para ficar boa para comer! 

E da próxima vez que me apetecer dizer uma coisa deste género, penso primeiro duas vezes, e lembro-me que eles só têm três anos e interpretam à letra o que lhes digo!

1 comentário:

Alfacinha e companhia disse...

Hehehe!

Faz-me lembrar o meu mais velho que uma vez deixou cair qualquer coisa que tinha nas mãos. Disse-lhe que tinha as mãos rotas. Ficou a olhar para as mãos muito preocupado e a dizer que não.

Bjks.