Comer de forma intuitiva! Já ouviram falar?

Follow my blog with Bloglovin


Nesta cruzada em que decidi meter-me para recuperar a silhueta que tinha antes de ser mãe, tenho lido muito. Já li várias correntes nutricionais diferentes, já tomei algumas decisões, já mudei algumas coisas na minha alimentação, e passada pouco mais de uma semana, já comecei a conseguir perceber como está o meu organismo a reagir a determinadas mudanças de alimentação.
Por exemplo, na primeira semana cortei radicalmente com os lacticínios. Custou-me bastante, porque sou daquelas pessoas que gosta de beber leite, gosta muito de queijos, todos eles, e de iogurtes. Por isso, custou-me. Optei por leites vegetais, sumos, papas de aveia. Não achei que me tivesse diferença, pelo que, devagarinho, tenho re-introduzido. Já bebi café com leite ao pequeno almoço duas vezes, e comi 1 iogurte! Uma loucura! 

Outro exemplo, na sexta feira, vieram cá a casa jantar uns primos nossos. Trouxeram um daqueles patês deliciosos, que vêem dentro de um pão, e são feitos com enchidos e queijos. Acham que eu consegui não lhe tocar! Claro que não! Comi e bem! Ora no fim de semana, organismo recém-flor-de-estufa, ressentiu-se e andei aflita! Já passou, e da próxima vez como só uma tostinha para provar [se conseguir!].

Entretanto, descobri um texto da Anita com o qual me identifiquei, e foi precisamente por o ter ligo que este post saiu assim naturalmente, de um simples teclar, às tantas da madrugada quando já estou quase a dormir mas os dedos continuam a conseguir deslizar pelas teclas do portátil tão depressa que juntos produzimos um barulho de fundo notável! Mas voltemos ao que a Anita dizia! Já ouviram falar no Comer Intuitivo?

É um conceito que vai totalmente contra a ideia de fazer dieta e que pode ser a solução para os problemas femininos com a comida. Muitas mulheres optam por planos de dieta variados sem conseguirem chegarem ao que pretendem. Estas dietas mal conseguidas, geram muitas vezes comportamentos de compulsão e por vezes conduzem à frustração e à perda de auto-confiança. 

"A nova corrente do comer intuitivo, e com nutricionistas já a agirem de acordo com uma nutrição comportamental, o que diz é que as dietas não resolvem nada, aliás, só prejudicam. Entenda-se dieta por qualquer tipo de restrição que se faça com o objectivo de perder peso que não siga os sinais internos do corpo de apetite e saciedade. Esta premissa entende que as dietas levam à compulsão alimentar, a comer de forma emocional ou quando não temos fome. Ou seja, leva-nos a comer segundo regras e não ouvindo o nosso corpo. Mesmo quem adora seguir regras e planos pode sentir-se culpada se as circunstâncias ou as emoções as levam a sair do plano estabelecido. E se pensarem bem, quando é que alguma vez uma dieta resolveu o vosso problema de peso de forma permanente? "


Claro que, se todos os dias acharem, ou se convencerem, que vos apetece devorar bolo de chocolate depois do jantar, não vai resultar!

Para mim, e por agora, o meu comer intuitivo resume-se a reduzir os produtos lácteos, alimentos com gluten, açucares e doces. Eliminar as coisas que não me custam nada, como refrigerantes. Reduzir também o consumo de bebidas alcoólicas! O copo de vinho ao jantar, só em dias especiais, e o gin enquanto estou a cozinhar também fica só para os fins de semana. [assim fora de contexto até parece que estava uma verdadeira alcoólica!]. Tentar cozinhar o mais suave e limpo possível, e à noite, ao jantar, tentar que seja só uma sopa [sem batata] e um sumo natural ou fruta. Ok, se houver um dia com muita fome, reforça-se com mais alguma coisa, mas a base é tentar eliminar os hidratos.

Por agora são estas as medidas tomadas, mas em breve vou ter mais! Só preciso de recuperar a 100% da cirurgia!

Se quiserem ler o artigo da Anita que me inspirou, e de onde vieram as imagens que aqui estão e alguns excertos de texto, basta clicarem aqui!

Sem comentários: