A imaginação das crianças de 3 anos!


Quando li este post da Vera, dei por mim a sorrir e a identificar tantas mas tantas situações em que o Daniel e a Carolina fazem exactamente isto! Criar histórias fictícias, e defendê-las com unhas e dentes como se acreditassem mesmo que são realidade. Mas enquanto a Carolina, que o faz menos vezes, aguenta a história até ao fim, o Daniel, por sua vez, quando é pressionado faz uma expressão única que o desmascara na hora e acaba por desatar a rir! [tenho que o fotografar com esta expressão um dia destes!]

A situação que talvez tenha sido a primeira coisas deste género que eles começaram a fazer, já surgiu há mais de um ano, e ainda hoje acontece de vez em quando.

Quando os vou buscar à escola, a primeira coisa que faço quando estamos a caminho de casa, é perguntar-lhes como correu o dia, o que fizeram, se dormiram bem e o que comeram. Este ano, já mais crescidos, regra geral até já me respondem como deve ser e explicam tudo direitinho, mas em relacção ao almoço, nem sempre lhes apetece explicar tudo. Nestes dias, a resposta é hilariante, e se agora já não conseguem aguentar a história, e começam logo a rir-se quando me respondem, no ano passado teimavam até ao fim, mesmo que eu fingisse que ia telefonar às educadoras a confirmar. Ora vejam:

" Eu - Filhos, o que é que almoçaram hoje?
Daniel - Nada!
Eu - Nada!? Então?
D - Nada mamã! A São comeu a minha comida toda!"

Este ano é a São que tem as costas largas e come o almoço do Daniel com frequência, no ano passado era a Ana que o fazia todos os dias sem excepção! E se eu contra-argumentar, ele entra na história!

"Eu - Txiii! Tu não me digas que ela comeu a comida toda outra vez!?
Daniel - Poix foi mamã!
Eu - Assim nem sei onde é que isso vai parar... qualquer dia come tanto que rebenta!
D - Xim! E depois vai ficá a cheirá mal na minha sala!"

A irmã, menos dada a este género de ficção, se for questionada em simultâneo sobre o mesmo assunto, corrobora a história! Agora digam-me! Onde é que um miúdo de três anos vai buscar tanta criatividade mental!?


Sem comentários: