Quando sentes que os teus filhos cresceram...

[Imagem daqui]

Hoje passou-se cá em casa um episódio que me derreteu completamente, e que me mostrou que o meu filho pequenino, tem um nível de discernimento que eu não imaginava que tivesse! 


Pouco depois de chegarmos a casa, enquanto arrumávamos compras, malas, mochilas e afins, o pai ligou o iPod na dock que temos na sala. Os miúdos adoram! Cantam, dançam e acabam por se despachar num ambiente de brincadeira, de forma muito mais ligeira. Enquanto estávamos a tratar das colecções [a Carolina está a fazer a colecção de cromos do Frozen, e o Daniel a colecção de cartões dos Invizimals. Como hoje fomos às compras, trouxeram umas carteirinhas novas e estávamos a arrumar o conteúdo das carteirinhas das cadernetas], e eu lembrei-me de lhes dizer, que aquelas músicas que hoje estavam a tocar e que os estavam a fazer abanar a cabeça ao ritmo, eram de quanto o pai dava aulas de bicicleta no ginásio. Eles absorveram a informação, e o Daniel, o homem das perguntas, levantou a cabeça da caderneta, olhou para o pai e perguntou: 

"D - Pai, e agora já não dás aulas no ginásio puquê?
Pai - Olha filho porque tive filhos!
Eu - Filho o pai não dá aulas no ginásio para estar conosco em casa. Senão a esta hora tinha que estar a dar aulas."



A conversa acabou por ali, mas o Daniel levantou-se, foi ter com o pai, encostou a cabeça no ombro dele e deu-lhe um abraço. Em silêncio, agradeceu ao pai o facto de ter escolhido estar em casa connosco. E o valor que isto tem para mim... é incalculável! E nestes momentos, sinto que apesar de por vezes perdermos a cabeça e gritarmos, alguma coisa estamos a fazer bem!  

1 comentário:

Vera Dias Pinheiro disse...

São a melhor coisa do mundo e ensinam-nos tantas, mas tantas coisas... nos mínimos detalhes do nosso dia-a-dia. O pai Daniel fez a coisa certa :)