Sestas com 3 anos e meio! Sim ou não?

A sesta, a partir de determinada idade, é um tema controverso. Há quem defenda que os miúdos devem dormir a sesta, e há quem defenda que já não precisam. Na minha opinião, depende muito de caso para caso. Há crianças que efectivamente precisam da sesta, com 3, 4 ou 5 ou até mais anos, e outras que desde cedo passam bem sem ela.

No caso da Carolina e do Daniel, e nesta altura, com três anos e meio, dispensar a sesta está fora de questão! Não é que não o façam pontualmente, em situações em que saímos ou que por qualquer motivo não estamos em casa à hora da sesta, mas regra geral, precisam sempre de dormir, e na maioria das vezes até são eles que pedem.

No Verão passado, após a primeira reunião com a educadora na sua actual escola, partilhei aqui a minha preocupação, pois foi nesse dia que soube que na sala onde eles iam ficar não havia sesta. A verdade é que nesse dia, fiquei mesmo apreensiva. Apreensiva ao ponto de considerar a hipótese de voltar a mudar radicalmente de planos, e de os manter pelo menos por mais um ano na mesma escola. Acabei por tomar uma decisão, embora a sentir-me pouco segura, que se veio efectivamente a revelar a melhor! Eles dormiam a sesta, na sala dos meninos mais pequenos. E ao contrário das previsões e das expectativas, continuam a fazê-lo.

Quer a educadora, quer mesmo nós pais, estávamos convencidos que, com o passar do tempo, eles próprios iam começar a resistir ao momento em que os amigos ficam na sala a fazer actividades e eles vão dormir a sesta. Mas, isso não aconteceu. Não há uma única vez em que se queixem, em que digam que não querem dormir, ou reclamem na hora de se irem deitar. Para eles, nem sequer é um tema que esteja aberto a discussão. Sabem que vão dormir depois do almoço, ponto final. Sabem que à 5.ª feira faltam à aula de Inglês porque é na hora da sesta, ponto final. Sabem eles, e sabe a outra menina da sala que tal como eles, dorme a sesta. São só três, mas não têm qualquer problema com isso.

Por isso, se no inicio do ano lectivo a ideia era dormirem apenas nos primeiros meses, face à realidade e ao que tem acontecido nestes meses, o que digo agora sempre que se aborda este tema, é que vão dormir enquanto tiverem necessidade disso. Porque é disso que se trata! Das necessidades deles! O mais importante não são as rotinas, os horários, os hábitos, mas as necessidades das crianças! E são as instituições que se têm que adaptar, e não o contrário.

Sei que há escolas que não abrem excepções, que afirmam que a partir da idade "X" não dorme a sesta e não têm qualquer flexibilidade para com o tema. Para mim, pessoalmente, essas escolas não seriam nunca uma boa escolha para os meus filhos. Quando as normas são demasiado rígidas, é sinal de que haverá várias situações em que as coisas não vão correr como eu acho que devem. Estamos a falar de crianças, e em última análise, as regras existem para se quebrar.

Sem comentários: