Natureza em estado puro

Ontem, saí mais cedo do trabalho, para ir ajudar o marido com uma trabalho que tinha para fazer em Tróia. Os avós iam buscar os miúdos à creche, por isso em termos de horários estávamos tranquilos. Apanhámos o catamaran das 17h, ainda com Sol, rumo à península que tanto adoro.


Chegámos, fizemos o que tínhamos a fazer, e depois tivemos que esperar pela hora do barco de regresso, cerca de 45 minutos. 

Decidimos caminhar pelo passadiço de acesso à praia. Parámos no primeiro ponto de descanso, a ler as novas placas colocadas pelo ICFN

O Sol punha-se devagar atrás da Serra, ouvia-se o suave bater da água na areia, na praia, uma pessoa apenas, a caminhar junto à água. No passadiço da própria praia, lá em baixo na areia, senti um movimento. Desviei o olhar, e nos primeiros segundos pensei que era um cão, eventualmente do senhor que passeava à beira mar. Depressa percebi que era uma raposa. Caminhava apressada, abrandou quando passou à nossa frente, olhou-nos nos olhos, e embrenhou-se na vegetação. Ficámos os dois paralisados, mas se tivéssemos tido reacção, tínhamos tirado uma fotografia maravilhosa! Ainda me perguntam porque adoro Tróia?


Sem comentários: