Dormir em camas separadas

Até aos 3 meses, a Carolina e o Daniel dormiram juntos numa cama de grades no nosso quarto. Eram tão pequeninos, que dormiam na largura da cama, e o espaço dava e sobrava!
Quando cresceram em comprimento o suficiente para deixarem de caber na largura da cama, decidimos passá-los para o quarto deles, cada um para a sua cama. Pusemos as camas uma ao lado da outra, com o muda fraldas no meio, para nos facilitar as operações de muda de fralda e trocas de roupa antes e depois do banho. Estiveram assim bastante tempo.

Mais tarde, quando começaram a usar o muda fraldas com menos frequência, decidimos mudá-lo de sítio, e passou para outra parede. As camas mudaram de posição ficando encostadas uma à outra pela cabeceira.

Esta disposição foi alterada quando a Carolina começou a ter pesadelos. Nessa fase, depois dela ter saltado a grade para a cama do irmão para se sentir acompanhada, decidimos retirar a grade central de cada uma das  camas e transforma-la numa cama única. Unimos as camas com braçadeiras plásticas, e passaram a dormir assim.

Na semana passada, acabámos por fazer nova alteração no quarto, que era necessário que acontecesse mais dia menos dia, e que foi despoletada pelo facto de começarmos a encontrá-los a dormir completamente atravessados na cama em cima um do outro. Cortámos as braçadeiras, separámos as camas, e criamos um espaço central com mesa de cabeceira, tapete e almofadas. Ficámos convencidos de que, apesar de lhes dizermos que agora tinham cama de crescido, porque já podiam entrar e sair da cama sozinhos, iam estranhar, sair da cama a toda a hora, ou reclamar que não queriam estar separados. Mas não! Nunca saíram da cama sem ser na hora de levantar, e têm-se portado lindamente! De vez em quando, o Daniel cai da cama, porque tem a tendência para estar na ponta da cama, e a dormir mexe-se imenso e acaba por cair. Já aprendeu que nessas situações basta voltar a subir para cama, mas ainda não se tapa devidamente!

Esta semana houve um dia em que cheguei ao quarto deles e a Carolina estava também na cama do irmão! Não teve consciência do que fez, não sei se foi para lá porque sentiu a falta dele, ou se foi apenas por ter caído da cama e ter ido para o lado contrário à procura de cama, mas lá estava ela encostada ao irmão. O facto é que a cumplicidade entre eles é tão grande que não passam um sem o outro, e por vezes até mesmo a dormir se procuram um ao outro! Toda esta cumplicidade, de que já tinha falado aqui, faz com que sejam completamente inseparáveis.


1 comentário:

Filomena Silva disse...

É tão linda essa cumplicidade, esse elo fantástico entre dois irmãos.
Beijinhos.