Voltar à carga?

Em Abril deste ano, em teoria, voltei ao ginásio! Abriu o Fitness Hut no Alegro de Setúbal, e lá fui eu, toda contente, a achar que ia ser fácil [pelo menos tão fácil como era antigamente]! Já tinha estado num clube deste grupo, para participar no desafio WOW [contei tudo aqui], e gostei imenso do conceito. 

O marido já deixou de dar aulas há praticamente 1 ano, e desde então a prática de actividade física também decresceu significativamente para ele, por isso decidimos ir juntos para o ginásio! Juro que fiquei mesmo entusiasmada com a perspectiva de voltar ao ginásio! Aliás, na altura falei disso aqui!

O primeiro passo, depois de tanto tempo "parada", tinha mesmo que ser a avaliação física! Era preciso perceber o "estado" em que me encontrava, e programar os treinos de acordo com esse estado, e de acordo com o objectivo. Combinámos com o PT Rui Costa, o dia e hora, e lá fomos nós! O Rui é nosso amigo, por isso, estamos muito à vontade com ele, mas se pensavam que ele nos ia facilitar a vida por isso... desenganem-se! Amigos amigos, desporto à parte!! Começámos por preencher os questionários de saúde e desportivo e de seguida fomos à balança e tirámos medidas, e foi aí que o susto se deu! Que estava com muito peso a mais, eu já sabia, mas um índice de massa gorda tão elevado é que me deixou em choque! Portanto, para voltar ao peso com que me sinto bem, tenho 6kg para deitar abaixo! Com eles, irá pelo menos parte da massa gorda, que deverá ser substituída por massa muscular.


Depois da recolha de dados, o Rui processo a informação, e o diagnóstico foi este:

Cliente com baixos níveis de hidratação diários;
Objectivo: Perda de Peso/Tonificação;
Perímetro da Cintura: 89;
Tensão baixa (c/tonturas e/ou perda de equilíbrio);
Alimentação baseada em 3 refeições principais apenas;
Limitações: Lordose, Escoliose acentuada, dores agudas zona lombar principalmente depois do fim de semana com as crianças;
Perímetro Cintura- 75;
Gordura Visceral - 3

O desafio era grande, e para o conseguir, era preciso muito empenho, muita dedicação, e muitas idas ao ginásio! 

Neste primeiro dia ainda fizemos um treino ligeiro, e ficou combinado voltar em poucos dias, para sabermos o resultado do plano de treino que o Rui nos definiu, e começarmos a treinar a sério!
E voltámos! Uns dias depois, marcámos novamente um dia com o Rui, e lá fomos nós! Treinámos forte e feio, porque o Rui não dá tréguas, não deixa fazer ronha, não deixa descansar! O marido, que tem claramente muito melhor preparação física que eu, não sofreu menos, porque aumentou a intensidade! Saímos de lá de rastos, mas com o sentimento de dever cumprido! 









Depois deste treino, o nosso objectivo era conseguir treinar pelo menos 2 vezes por semana, e idealmente, ir lá um terceiro dia fazer uma aula de indoor cycle ou uma aula de CX Works. Fomos lá fazer o treino que o Rui prescreveu 2 vezes. Numa delas, atrasámo-nos e não deu para fazer o treino completo, mas cortámos dois exercícios e fizemos o restante. E depois, o tempo passou, e quando demos por nós, tinham-se passado 3 meses sem lá irmos uma única vez. É certo que fomos fazendo umas corridas de vez em quando, mas isso não chega, e não nos leva a conseguir os objectivos que queremos!

Por isso, ontem decidimos voltar à carga! Consultámos o plano de aulas do dia, e escolhemos uma aula virtual de indoor cycle. Confesso que andava curiosa com as aulas virtuais desde o início! É um conceito que me parece muito bom, porque permite que hajam sempre aulas disponíveis, mesmo nos horários com menos procura. Por outro lado, para apreciar uma aula de grupo é preciso que haja empatia entre o instrutor e quem a frequenta, e isso nem sempre se consegue. Já andei em ginásios onde só conseguia fazer aulas de 2 ou 3 instrutores, precisamente porque por algum motivo, não conseguia estabelecer essa empatia com os restantes instrutores. Isso limitava imenso as minhas opções. A virtual class vem resolver este problema!

Dois ecrãs a  projectar a aula, uma instrutora francesa, muito simpática, o perfil de intensidade da aula no ecrã , assim como o nível de intensidade de cada faixa, a sua duração, e a duração total da aula. Das 31 bicicletas do estúdio, só 4 estavam ocupadas. Claramente, à hora a que fui, não seria rentável pagar a um instrutor. Gostei imenso da aula, e vou tentar ir a esta aula todas as semanas! Agora falta definir e concretizar o plano para o resto da semana! Se conseguir ir pelo menos 2 vezes por semana, já não é nada mau!

 
 Outro ponto a favor das aulas virtuais, é que o instrutor não se chateia quando tiramos selfies!! AHAHAH! [Não obstante, estava ali um senhor ao meu lado, que ainda se sentia um bocadinho instrutor e fez cara de mau para a foto!]

Sem comentários: