Materialismos

Não me considero materialista. Não tenho grande dificuldade em desfazer-me da maioria das coisas. Claro que, há excepções. Há coisas que têm valor sentimental. Nessas situações, e mesmo quando o facto de nos desfazermos delas nos parece um cenário bom, corresponde ao que queríamos e significa uma boa oportunidade, deixá-las ir... dói. Esta semana tenho andado com um nó no estômago. Cada manhã penso que já só falta x dias, e o meu lado emocional sente-se como se me roubassem parte da minha vida. Acordo a meio da noite a pensar no assunto, penso e repenso, aceito pelo milionésima vez que é a melhor decisão, mas o nó continua cá! 

Amanhã vou despedir-me de um companheiro de longa data. Um companheiro que acompanhou muitos  momentos marcantes da minha vida, que me limpou muitas lágrimas, presenciou muitas emoções. Um companheiro que me protegeu, me acompanhou, me amparou. Foram quase 10 anos em comum! [Faríamos 10 anos de relação no dia 20 de Julho]. 

Ao aproximar-se cada vez mais o momento... o nó aperta mais. E amanhã, quando o deixar, [agora acho que quase de certeza] vou deixar escapar algumas lágrimas. 




1 comentário:

Timido disse...

Opah...
Não sejas assim, certamente terás muito mais para viver ao volante da nova máquina...
Pensa só que o novo carro irá acompanhar o crescimento dos teus pequenos proporcionando-lhes mais conforto, segurança e proporcionando aos seus pais mais espaço para tudo o que é preciso transportar com 2 crianças (e acredita que sei bem o que isso significa, porque para além de um casal de gémeos de 5 meses e meio tenho a mais velha de 21 meses...)