E pronto! Agora quebrei!

Os dois deitados, e nós na sala. Intercomunicador ligado. Oiço reboliço lá por cima e agarro a câmara para ver o que se passa. Discutem qualquer coisa sobre chuchas. Ela diz que a dela é de borracha. Ele diz que a dele não é.

De repente diz-lhe ela:

"C - Gosto muito de ti mano. Sabes?
D - Puquê?
C- Puque xim! Puque xim mano! Puque xim mano! Puque xim mano! (...)"

E ficou nisto! Uns 2 minutos! E agora o silêncio voltou e parece-me pela respiração que se ouve, que já dormem! E é isto! E eu, coração de mãe a rebentar de orgulho, fiquei de câmara na mão e lágrimas nos olhos! E corri a escrever tudo para não me esquecer!