Do desfralde! Quase 1 mês depois do início!

Fazemos 1 mês de desfralde no dia 7 de Maio. De hoje a dois dias, portanto. E a verdade é que se me puser a olhar para trás, só consigo sorrir e deitar as mãos ao céu! Houve e continuará a haver acidentes! Óbvio! Mas na maior parte das vezes acontecem em situações em que a culpa é um bocadinho nossa! 

No fim de semana, um dia logo de manhã, saí com eles [enquanto o pai foi participar numa corrida] para ir buscar a avó paterna a casa [ia almoçar connosco], e para os levar ao parque. Quando estávamos a 5 minutos do parque, o Daniel pediu para fazer xixi. Disse-lhe que estávamos quase a chegar e pedi para esperar só um bocadinho que já íamos à casa de banho. Chegámos, estacionámos, foram a correr para o parque e eu nunca mais me lembrei que ele tinha vontade de fazer xixi [e ele também não!]. Nem 5 minutos depois, no cimo do escorrega, oiço um grito:

" -  Mamã! Xixi! Xixi na cueca mamã!!"

[Fica em pânico quando acontece!] E lá estava! A bela da poça aos pés, as cuecas, as calças, as meias [nem sei como, mas os ténis safaram-se!]. Peguei nele, trouxe-o para o chão e comecei a despi-lo rapidamente para tentar pelo menos salvar os ténis. Ia-lhe dizendo que não se preocupasse, que a mamã tinha mais roupa no carro e íamos já trocar e ficava tudo bem. Entretanto, a avó foi a correr ao carro buscar a muda de roupa. Quando a avó chegou, já ele estava despido da cintura para baixo, e ao baixar-se para se sentar ao meu colo a vestir a roupa lavada, bateu no joelho da avó [que estava de cócoras] e desatou a sangrar do nariz. Deve ter doído imenso, porque se fartou de chorar, e eu ao mesmo tempo que o tentava acalmar, tentava que o sangue não se espalhasse por todo o lado. Não consegui. Tive que pegar nele ao colo, nu da cintura para baixo, atravessar o Club House do condomínio onde estávamos [e onde estava a decorrer um torneio de Golf, estando por isso apinhado de gente!] e passar com um miúdo nu e coberto de sangue, que berrava a plenos pulmões, para a casa de banho. Com muita calma, lá o lavei, lá o acalmei, lá percebeu que era muito sangue mas não estava propriamente a morrer e lá se acalmou! [Sim, porque quando chegou à casa de banho e se viu ao espalho assustou-se, deu um berro e chorou ainda mais!]. Ultrapassado o episódio, e já vestido com roupa lavada, lá retomou as brincadeiras no parque com a irmã. E eu fiquei a culpar-me porque me esqueci de o pôr a fazer xixi e despoletei este drama todo!


Também já aconteceu umas duas ou três vezes, a Carolina, fazer xixi nas cuecas e percebermos que foi por preguiça, pura e simples. Não está para se chatear, para interromper o que está a fazer, e resolve despachar o assunto logo ali. Depois aparece, com carinha de santa e diz qualquer coisa como: "Mamã eu fazi xixi na cueca. Qué trocare!" [Irrita-me, claro! Digo-lhe que gosto mais quando faz na sanita, mas tento controlar-me para não ralhar com ela, mesmo quando tenho a certeza que o faz por sacanice. Não consigo sempre, e às vezes solto uma exclamação de desapontamento, mas ela não liga nenhuma!]

Quanto à sesta, na creche já não há fraldas também! A Carolina tirou a fralda da sesta já há quase 2 semanas, e o Daniel tirou na semana passada. Acidentes com a Carolina: zero! Acidentes com o Daniel: um - ontem. Perguntei-lhe o que se tinha passado, e ele respondeu-me que a pilinha estava a fazer ó-ó e distraiu-se! E hoje de manhã disse-me com um ar muito convicto: "Mamã, eu hoji não vou fazer xixi na cama!". Em casa ainda dormem a sesta de fralda, mas apenas por comodismo nosso... é que na creche a cama é de plástico, lava-se, muda-se um lençol e já está, mas em casa... é mais complexo! Sim! Eu sei que há resguardos e isso tudo, e tenho-os postos na cama sempre, mas ainda me falta coragem para este passo!

Claro que, milagres não há, mas fico tão feliz quando me pedem para fazer xixi ou cocó na sanita [haveria coisinhas mais fofas para me porem feliz, mas por agora esta é uma delas!]

Sem comentários: