Tenho uma gata bipolar

A Yoga é a gata mais doce que algum dia vi. Passa os dias a tentar sentar-se ao colo de qualquer pessoa que esteja em casa, seja um dos membros da família, seja alguém que esteja de visita. Passa todo o tempo a ronronar baixinho, esfrega a cabeça nas nossas mãos para fazer festas a ela própria. Persegue-nos pela casa enquanto fazemos o que quer que seja, tipo sombra, como se nos estivesse a guardar.
A Yoga foi adoptada por nós em 2009, com 2 meses. Pertencia a uma ninhada que se encontrava no Canil/Gatil do Seixal. Escolheu-nos para donos. Assim que puseram a ninhada no chão, veio ter conosco no seu caminhar trapalhão de gato bebé, e começou a roçar-se nas nossas pernas. Veio conosco nesse dia, vacinada e desparasitada, e mais tarde foi também esterilizada. 
A Yoga deixa a Carolina e o Daniel fazerem-lhe de tudo. Desde festas vigorosas, a sentarem-se em cima dela a brincar aos cavalinhos. Nunca foge, nunca se chateia, limita-se a miar baixinho.

O Sushi é o macho da casa, vive cá desde 2006, e sempre foi um gato independente. Dá confiança até onde ele entende, e quando se farta simplesmente muda de sítio. Só recebe festas de pessoas fora da família quando ele quer. Sempre se deu bem com a yoga, e quando ela cá chegou, nem precisou de 24h para a tratar como se fosse filha dele. Também foi adoptado, e já veio vacinado, desparasitado e esterilizado. Tinha cerca de 1 ano quando se juntou à família.

Um dia, algures antes dos miúdos nascerem, a yoga passou-se e começou a rosnar ao sushi. Durante umas duas ou três semanas andaram nisto! Nessa altura a casa estava em obras, e atribuímos a alteração de comportamento à presença constante de estranhos e à alteração de rotina. Com o tempo, isto passou, e apenas pontualmente havia pequenas brigas. 

Normalmente estas brigas são encabeçadas pela yoga. O sushi desistiu de reagir, e limita-se a olhar para ela com ar surpreso e a tentar cheira-la. Ela fica eriçada e assanhada mas com uma voz de comando acalma-se e foge para um sítio longe dele. 

Hoje a manhã foi de briga constante. Ao contrário do habitual, hoje a briga não acalmava com a nossa intervenção. O sushi não reagiu nunca, mas a yoga não parava de rosnar, completamente eriçada, e a fazer-lhe frente. Quando já com os miúdos a chorar desalmadamente assustadissimos com o que se estava a passar, tentámos conduzi-la para um sítio onde pudéssemos fechar uma porta e separar os dois, a reação que estava a ter com o sushi passou para nós.


Não levou a dela avante, não arranhou ninguém nem mordeu ninguém, mas acabou a ser empurrada para uma casa de banho com ajuda de uma vassoura, depois de ter feito xixi pelas patas abaixo e estar ensopada. 

Depois do chão lavado, e um bom bocado depois de fechada, na primeira tentativa que fizemos de a limpar, voltou à carga. Novamente eriçada e mais xixi no chão. Continuou fechada.

Entrei na casa de banho há10 minutos. Estava deitada dentro de um cesto com toalhas, enroscada, e miou baixinho para mim. Fiz-lhe uma festa, lavei o chão, e ela nunca saiu do cesto. 


Para a deixar sair e perceber como reage, tenho primeiro que a lavar. Deixei-lhe uma caixa com um bocadinho de leite e uma colher de atarax. Vou esperar para ver se o bebe e acima de tudo se fica calma para poder tomar banho. Será que a yoga sofre de bipolaridade? O que lhe faço se isto não passar? 

(Belo domingo que estou a ter...)

2 comentários:

Isa disse...

Ela não estará com dores? Ou algo do género? É muito estranha essa reação , principalmente o fazer xixi sem controlar! Os gatos não costumam fazer isso quando nervosos...

Carolina Neves disse...

Sim, muitas vezes os gatos têm comportamentos fora do comum para alertar os donos que algo está errado. Talvez seja de pensar levá-la ao veterinário.