Da solidariedade entre irmãos!

Ontem ao jantar, o Daniel entendeu que não lhe apetecia comer sopa. Insisti meia dúzia de vezes, e da última vez que lhe perguntei se queria um bocadinho de sopa, empurrou-me a mão e desatou a dizer repetidamente: "Sai, chata!" - coisa que aprendeu a dizer recentemente (não sei onde!), e que repete vezes sem conta.
 
Pus uma cara triste, e disse-lhe (mais uma vez!), que não gostava que ele dissesse aquelas coisas e que ficava muito triste com ele.
 
Continuei a dar a sopa à Carolina, que a comeu toda (a dose dela e a dose do irmão!) e depois fui buscar o segundo prato: Arroz de cenoura com salmão grelhado. Senhor Daniel, que adora esta ementa, pediu imediatamente "Rô".
 
E eu muito calmamente, respondi-lhe: "Daniel primeiro tens que prometer que não te vais portar mal, e que comes sem birras. E não dizes aquelas coisas feias à mamã senão a mamã fica triste."
 
Ele, teimoso como sempre, respondeu que não! E eu disse que ia ficar à espera e comecei a dar a comida à irmã.
 
Durante esta conversa ela esteve sempre caladinha, mas depois da minha última frase, reagiu imediatamente e disse-me:
 
"Mamã, pupupa Nanéu" - e fez-me uma festinha no braço, sorrindo para mim e para o irmão!
 
(E pronto! Amoleci imediatamente!)