Das coisas que me fazem gelar...

Como mãe de gémeos que escreve muito sobre a sua experiência com a maternidade, sou contactada com frequência, por outras mães de gémeos, e por grávidas de gémeos, a pedir para dar a minha opinião sobre diversos assuntos, para trocar ideias, para partilhar experiências. O contacto mais recente que tive, foi uma amiga de uma colega minha de trabalho, grávida de gémeos (também um casal!), felicissíma, a perguntar algumas coisas, essencialmente de logistica, sobre carrinhos de bebé e questões práticas dos primeiros tempos.
 
Esta semana recebi uma mensagem dela, que me fez gelar. Escreveu-me no dia em que completou as 24 semanas de gravidez. Contou-me que está internada desde as 22 semanas, e que assim se irá manter até ao final da gravidez. Na Ecografia morfológica das 21 semanas, foi detectado um problema num dos bebés... apresenta dupla fenda labial, não terminou o desenvolvimento do maxilar e tem fenda palatina. Marcaram-lhe imediatamente uma amniocintese urgente, para tentar perceber se havia alguma questão cromossómica, mas devido a dois descolamentos de membrana, não a pode realizar sob risco de entrar em trabalho de parto.
 
Neste momento, está internada, a tentar superar cada dia, a tentar manter-se calma, e a tentar pensar positivo. Não sabe quanto tempo vai conseguir aguentar a gravidez, não sabe como vão nascer os filhos, não sabe como vai ser "o dia de amanhã"! Tem medo... (muito!), e só pode ter! Quer ganhar tempo, quer ganhar dias, semanas de gravidez, para que os bebés nasçam o mais próximo possível do tempo final da gravidez, para que nasçam o mais desenvolvidos possível e com as melhores condições de saúde possíveis. Ao mesmo tempo, antecipa o que serão os primeiros tempos depois do parto, e um turbilhão de dúvidas e emoções apoderam-se do seu pensamento e do seu coração.
 
Não passei por nada parecido. Apenas passei por um internamento dos meus filhos durante duas semanas, única e exclusivamente porque não tinha peso suficiente para serem vacinados, e porque não sabiam mamar. Foram as piores semanas da minha vida. Ter que me afastar deles, estar privada de os ter colados a mim 24 sobre 24 horas, sentir-me impotente para os pegar ao colo e os levar dali para fora, para nossa casa, sózinhos os 4, no nosso mundo, em segurança. Foram os piores dias da minha vida!
 
Por isso gelei! Porque sei que com tão pouco, sofri tanto, e não consigo imaginar o que sente esta mãe, por se ver em tão dificil situação. O meu coração está com ela, para que tudo corra pelo melhor. Tenho estado em contacto com ela e tenho tentado deixar-lhe palavras amigas, porque sei, que em situações destas, todas as palavras de conforto são poucas. Vai correr bem!

3 comentários:

Timido disse...

E agora deixaste-me gelado a mim também...
A minha mulher também está grávida de gémeos, ainda vamos agora nas 18 semanas, mas estamos tão felizes...

Aquando do nascimento da nossa filhota, há coisa de um ano atrás a minha mulher passou quase um mês no hospital, por restrição de crescimento, e a nossa filha acabou por ser prematura... Agora uma gravidez gemelar, depois de um parto pré-termo já fomos avisados que é uma gravidez de alto risco...
Tenho muito medo que algo corra mal, mas por cá estamos a zelar para que tudo corra bem...

Espero que corra tudo bem com essa mãe... E que não passe apenas de um susto...

Definitivamente São Dois disse...

Nada de pensamentos menos bons!!! Tudo vai correr bem!!! Beijinho

ML disse...

Um beijinho para ela. Só de ler gelei!