Egoísmo ou sanidade mental?

Estou numa fase de exaustão de tal ordem, que tudo o que me passa pela cabeça é tirar uma semana de ferias dos meus filhos! O ritmo tem sido alucinante, as ultimas ferias já foram há 1 ano e acumular toda a gestão familiar com dois trabalhos consome muito mais energia do que a que tenho disponível. Mais do que o cansaço físico, o que me atormenta nos últimos dias é o cansaço psicológico.

Neste momento começo a sentir que estou a ser uma má mãe. Não tenho paciência para as birras, as contrariedades, as comidas cuspidas, os ranhos limpos no sofá... Não tenho a capacidade de aconchegar e acalmar sempre que necessário, não tenho um mimo sempre a sair, uma palavra de conforto, um beijo de consolo.

Não deixei de gostar dos meus filhos, não passei a gostar menos deles, não deixei de ter a certeza que tenho a vida com que sempre sonhei. Mas o facto, é que chega-se a um ponto, em que a razão fica completamente toldada pela exaustão, e nos transforma numa pessoa que não queremos ser.

Precisava de uma semana de férias desta vida. Não a vou ter, mas precisava. Mas se pudesse, juro que a tirava. Embora não consiga dissociar esta minha necessidade de um certo egoísmo, a minha parte racional, aquela que a vida me ensinou a não deixar sempre falar, diz-me que é uma questão de sanidade mental... E desta vez, dou-lhe razão!

2 comentários:

Nina Mota disse...

Como a compreendo, e não, não é egoísmo, tb sou mãe de gémeos, e tb estou, acredite que é verdade, exactamente, com as mesmas impaciências, os mesmo dilemas. Muitas vezes até acho que q já tenho a minha sanidade mental comprometida!!! O que lhe posso dizer, que não é muito, pois a minha experiência de mãe de gémeos é só de quase 1 anos, é aproveitar os minutos calmos, para esses minutos, parecerem horas de sossego.

Maria Carpideira disse...

Não me parece nada egoísmo!
Todos precisamos de estar bem com nós mesmos antes de conseguir dar a outros independentemente da situação que seja caso contrário estamos sempre divididos. Eu apoio a causa do "eu primeiro" e sim muita gente vê isso como egoísmo mas sinceramente é para o lado que dormo melhor, talvez seja mas houve alturas em que não era e posso dizer que este tipo de egoísmo só me fez ser melhor para os que amo. É preciso parar e olhar para dentro, como é que se pode dar o melhor aos outros quando não o sabemos defender para nós próprios?