Sobre a pressa!

Hoje cheguei ao trabalho, abri as minhas páginas de leitura diária, e deparei-me com este texto da Catarina. Parei, e fiquei a reler o que ela escreveu. Revi-me em cada frase, em cada sensação descrita, em cada reflexão que ali estava estampada, e que me fez também a mim reflectir.
 
A Catarina tem 3 filhos, sendo o mais pequenino um bebé de meses. Tem a sua casa, o seu trabalho, e um marido que por motivos profissionais, viaja muito. A Catarina passa muito tempo sózinha com os três filhos! Tem apoio da familia, mas o facto é que, por mais apoio que tenhamos, mãe é mãe e pai é pai, e há muitas coisas que só nós é que fazemos. A Catarina faz uma coisa que admiro, anda de transportes publicos, em Lisboa, sózinha com os 3 filhos! De cada vez que vejo uma foto dela nos transportes, fico a pensar se seria capaz de o fazer só com os meus dois, quanto mais com três!
 
A pressa, faz-nos perder a vida. Faz-nos ignorar pequenos momentos que devíamos valorizar. Ultimamente nem para correr tenho tido tempo, porque entre os miúdos, a casa, e o trabalho, não sobra nada! Um dia eles vão crescer, vou voltar a ter tempo para mim, e aí, quero acreditar que vou ter saudades desta altura em  que precisam de mim, em que fazem birras, em que querem a minha atenção e me chamam a cada segundo. Quero aproveitar cada minuto em que os tenho colados a mim, e fazer o meu melhor enquanto mãe! Quero ter sempre toda a paciência do mundo para lidar com as birras deles. Quero ter tempo para eles, tempo com eles. 
Ontem tinha planeado levá-los à praia depois da sesta. Depois ao jardim, ou pura e simplesmente à rua, passear, apanhar ar, apanhar sol, respirar! Não consegui. Acabou por ser um dia de sol em que ficaram simplesmente em casa. Culpei-me e fiquei frustrada por não ter conseguido fazer nada do que tinha planeado. Mas o facto, é que eles não estavam chateados por estar em casa. Brincaram muito durante todo o dia, desarrumaram o quarto de brincar de uma ponta a outra (mas voltaram a arrumar antes de ir para a cama), e quando ao fim do dia foram dormir, estavam cansados, felizes, e adormeceram rápido!
A pressa, tal como diz a Catarina, faz de mim uma pior mãe. E tenho que fazer tudo por tudo por afastá-la da minha vida! Esta vida que passa a correr, mas que tenho que saber gozar o mais possível, tirando partido do que realmente importa!
 
 

Sem comentários: