#20 Solidariedade | Crescerbem

Pedir está cada vez mais na ordem do dia, mas este apela que recebi, é dos que me sensibilizam. Se todos pudermos dar uma pequenina ajuda, o resultado, fará a diferença!

A Crescerbem, IPSS criada em Março de 2011 e sedeada no Hospital D. Estefânia, sob o lema “Proteger para Crescer”, tem o objectivo amparar bebés de famílias com fragilidades socioeconómicas, psicológicas, de pais adolescentes e padrões de relação disfuncional (maus tratos, toxicodependência, alcoolismo). Contam com uma equipa multidisciplinar de 20 voluntárias, entre as quais uma psicóloga, uma enfermeira e duas farmacêuticas. Atuam em conjunto com os Serviços Sociais do Hospital D. Estefânia e do Hospital de Santa Maria para a entrega de bens e apoio domiciliário semanal com o objectivo de promover autonomia nos cuidados básicos do bebé (fornecer roupa, fraldas, apoio na confecção dos alimentos, apoio na gestão do orçamento familiar). 

Arrancou no passado dia 7 de Janeiro, uma Campanha que pretende angariar 100 mil refeições. Até dia 15 de Março, a Crescerbem, Associação de Apoio no Domicilio ao Recém-Nascido, em conjunto com Aptamil, Blédina e a Urbanos, apela a todos os portugueses que se juntem a esta causa. Para isso, basta adquirir produtos Aptamil (excepto leites 1, incluindo os para fins medicinais específicos) ou um pack solidário leve 3 pague 2 de Farinhas lácteas Blédina nos pontos de venda, ou contribuir directamente no facebook do Clube Aptababy. A Urbanos irá ficar responsável pela entrega dos produtos que irão responder às necessidades específicas (leites e farinhas lácteas) dos bebés referenciados para este apoio através dos Centros de Saúde.

Durante o período da Campanha, Centros de Saúde a nível nacional irão referenciar as famílias a quem serão depois entregues os alimentos. Com a angariação de 100 mil refeições, a Crescerbem prevê poder ajudar até 4 mil famílias.

A Associação receia que em 2014 os pedidos de ajuda das famílias portuguesas aumentem. O cenário de contracção económica mantém-se e por isso a Crescerbem prevê que mais famílias irão precisar de alimentos, roupas e outros bens.


Sem comentários: