Desmame do lanche

De há uns tempos para cá, comecei a notar, em alguns dias, que por volta das 18h os meus filhos começam a dar sinais de fome. Ficam mais impacientes, vão para a porta da cozinha, ou pedem-me mesmo comida! As soluções que vi, foram apenas duas:
 
1. Dar um 2.º lanche;
2. Dar o jantar mais cedo.
 
Uma vez que a hora de jantar ronda normalmente as 19h/19h30, a 2.ª opção pareceu-me completamente fora de questão, pelo que, nos dias em que isto sucedia, comecei a dar-lhes bolachas. Funcionava muito bem, no momento, mas a minha tentativa de atrasar o jantar para que tivessem efectivamente fome, falhava! Chegavam no máximo às 19h30/19h45 e estavam podres de sono, super birrentos, e a pedir para jantar. Mas depois, ou a fome ainda não era muita, ou o sono a superava, e quer para jantar, quer para tomar banho, era birra atrás de birra!
 
Assim sendo, foi preciso começar a pensar numa solução diferente! Motivada por tudo isto, e também, em parte, por uma situação profissional que me vai obrigar a deslocações a Coimbra no inicio de Dezembro, tomei a decisão, de experimentar não lhes dar mama ao lanche. Até ontem, comeram cérelac, o nosso aliado das refeições de SOS, a que raramente viram a cara. Hoje a Carolina comeu iogurte com bolacha e fruta, e o Daniel não quis o iogurte e comeu cerelac! Preciso de pensar em mais alternativas de lanche!
A minha ideia inicial era dar mama uns dias, e comerem outras coisas nos outros, mas a habituação foi tão rápida e tão boa, que salvo alguma situação pontual, acabou-se mesmo a mama ao lanche! No primeiro dia, habituados que estão a mamar assim que a mamã chega à creche, vieram para o meu colo e apesar de já terem lanchado, pediram-me mama! Eu disse que não havia maminha, que os meninos já tinham comido papa, houve choros e reclamações, mas como não lhes dei margem para mais, sossegaram ao fim de uns minutos. No segundo dia, já não pediram mama na creche. Fomos para casa, e por volta das 17h o Daniel trepou para o meu colo, tirou a chucha e espetou-a na minha boca. Quando lhe perguntei o que queria, começou a tentar levantar-me a camisola para chegar à mama! Disse-lhe que não era hora de maminha, e ele choramingou, mas depressa se distraiu com qualquer outra coisa e esqueceu o assunto (de ressalvar, que esqueceu mas não por muito tempo, pois por volta das 23h30 acordou para mamar!). Ontem, já ninguém pediu mama! E hoje, até ao momento, também não!

O certo, é que apesar de sentir uma certa nostalgia, e uma sensação de que estou a perder aqueles momentos tão importantes com os meus filhos, o que senti nestes dias foi alivio! Sinto-me mais à vontade, chego à creche e basta pegar neles e vir embora, já não estou sempre limitada com o que visto de manhã (dar mama de vestido é um filme!), e vejo-os bem com esta minha decisão! Provavelmente, a nostalgia só irá tomar conta de mim, no dia em que deixar mesmo de amamentar, e até lá, tenciono aproveitar cada segundinho em que os tenho a mamar, em que são só meus, em que dependem totalmente de mim! Porque num abrir e fechar de olhos, eles crescem, e deixo de ter os meus bebés só para mim!

Sem comentários: