Das Festas de Lisboa!

Não somos de Lisboa! Somos da Margem Sul! Quero dizer... bem vistas as coisas, eu até sou de Lisboa! Nasci no Bairro de Alvalade, numa Clinica que já não existe: A Clinica de São Miguel. O marido nasceu em Setúbal. Vivi a minha vida de solteira no Seixal, e o marido em Setúbal. Mudei-me para a Quinta do Anjo em 2001, e por lá continuo, e sem voltade de mudar (pelo menos, dentro do território Nacional, porque se falarmos em sair do país já o caso muda de figura!).

Não sendo de Lisboa, sempre tive um carinho e uma ligação especial com a cidade. Adoro a baixa, o Rossio, O Chiado, a Avenida da Liberdade, a Avenida de Roma... adoro ver um Pôr do Sol no Cais das Colunas, almoçar no Frutalmeidas, beber café na Mexicana, comer um gelado na Haggen Dazs do Chiado! E adoro os Santos Populares!

Na época de faculdade não falhava nunca! De barco ou de carro, consoante apetecesse ou o orçamento permitisse, estava lá sempre! Sardinhas? Não, obrigada! Por mais que tentem convencer-me, não gosto de sardinhas, ponto final. Como uma febra no pão, um pão com chouriço...agora sardinhas não! Das sardinhas, só mesmo o cheiro! Esse gosto! E o cheirinho a mangerico... misturado com o cheirinho das febras e das sardinhas é assim qualquer coisa! (Mesmo que depois chegue a casa com cheiro a acampamento!). Gosto dos balões de papel pendurados, da música de arraial, da confusão de gente que por essa noite esquece as contas para pagar e todos os problemas que possam existir na sua vida, e dança, e bebe, e come!

No ano passado, dado o meu volume abdominal, obviamente nem pensei sequer em ir! Este ano, andava aqui a remoer o cheirinho a mangerico, e fui desafiada! E lá fomos nós! Mesmo que só um bocadinho. Mesmo que para um sitio amplo e espaçoso onde o carrinho de bebé circulava sem problemas. Mesmo que sem o tipico ambiente de arraial. Deu para sentir um bocadinho do gostinho a Santo António na pontinha da lingua!

Apanhámos o barco da Transtejo, com a Irina e o Nuno como companhia, e fizemos a travessia para o Cais do Sodré. Pelo caminho, demos o jantar à Carolina e ao Daniel! Fizemos a nova marginal entre o Cais do Sodré e o Terreiro do Paço, e aí, juntámo-nos à Filipa, ao Marco, à Constança, à Amélia e ao Vicente. Instalámo-nos na esplanada no Ministerium, e por lá ficámos! Mais tarde juntaram-se a nós a Ana, o Eduardo, o Guilherme e a Leonor. Uma mesa bem cheia!! 4 bebés, 3 crianças mais crescidas e 8 adultos!

Não houve birras, nem queixumes, houve comida e bebida, música e dança! E ás 21h30, qual cinderela (mas mais cedo!) pés a caminho, que o barco de regresso era ás 22h e não podia falhar!









Sem comentários: