Desafio

Vi aqui http://economiacadecasa.blogspot.pt/2013/01/desafio-um-mes-sem-gastar.html?m=1 uma proposta que me agradou muito! Uma forma de analisar os gastos mensais, e de ver o que se consegue poupar (se é que ainda é possível poupar!)

Nós por aqui vamos aderir! Mês de Fevereiro testamos a teoria, o que sendo o meu primeiro mês de trabalho vai ser óptimo! Quem se junta?

"Desafio: Um mês sem gastar

O que estou a propor pode parecer impossível. Quem é que consegue passar um mês sem gastar? Há que pagar a casa, a escola das crianças, a água, a luz, o gás, o combustível… E temos de comer, não é?
Mas o desafio que estou a propor não é exatamente um mês sem pagar as nossas obrigações mensais, mas um mês sem gastarmos em nada que não seja absolutamente necessário. A ideia não é minha, descobri-a recentemente em alguns blogues estrangeiros e achei-a um excelente desafio. Será que seremos capazes de passar um mês inteiro – 30 dias – sem fazer uma única despesa extra ou supérflua?
Isto quer dizer que durante um mês não há nem um só café fora de casa, nem a compra de uma revista ou jornal. Durante um mês nada de comprar um bolo apenas porque sim, nada de refeições fora de casa nem idas ao take away. Nada de comprar roupa, acessórios ou sapatos. Nada de gastar combustível em passeios - mesmo que curtos - ao fim de semana. E na ida ao supermercado manter a lista de compras sobre controle e evitar a todo o custo comprar alimentos e snacks extra. Nada de cabeleireiro, esteticista e nem sequer idas ao cinema. Um mês de controle ainda mais apertado das nossas finanças.
A ideia desta iniciativa é não só uma questão de economizar, mas de percebermos na realidade quais são as coisas realmente importantes e aquelas sem as quais podemos passar. Numa altura de dificuldades económicas para a maioria dos portugueses – e onde muitos já limitam os seus gastos ao estritamente necessário – é talvez um “exercício” que muitos outros podem fazer. Porque na maioria das vezes, sem nos apercebermos gastamos vários euros em coisas completamente desnecessários e o pior, é que nem nos apercebemos.
E em 30 dias é uma boa oportunidade para procurar e encontrar alternativas. Em vez comprar o jornal ou a revista, podemos sempre ler online ou aproveitar para finalmente ler aquele livro que nos ofereceram no natal. Aproveitar para experimentar receitas novas e com ingredientes económicos em vez de ir ao take away, e aproveitar para cozinhar ao fim de semana para garantir as refeições da semana. Em vez de sair para um pequeno passeio ao fim de semana, que tal ir a pé até aos baloiços com as crianças ou ficar em casa a ver um filme. Deixar de sair de casa ou do trabalho para ir “só ali beber um cafezinho” e em alternativa beber em casa ou levar de casa.
Não será certamente em 30 dias que vamos mudar os nossos comportamentos financeiros, mas será mais uma oportunidade para avaliarmos como conseguimos gastar dinheiro, tantas vezes sem nos apercebermos. Eu vou experimentar esta iniciativa durante o mês de Fevereiro. Alguém me acompanha?
E fica também aqui um “guia” para ajudar a controlar este mês sem gastar, bem como todos os outros!

1 – Estabeleça o orçamento e calcule quanto gasta em despesas fixas todos os meses
Ninguém conseguirá nunca controlar as suas finanças pessoais se não souber exatamente quanto gasta e onde gasta o seu dinheiro. Faça as contas a todas as suas despesas e obrigações fixas mensais. Depois de achar esse valor já sabe que o objetivo para este mês sem gastar é, ter esse valor como o total do gasto mensal.

2 – Procure Alternativas e encontre oportunidades
Se tinha por hábito ir tomar um café fora todos os sábados ou domingos, deixe de o fazer (Eu não estou a dizer para sempre, mas sim durante este mês sem gastar!). Em vez disso tome em casa e aproveite para depois ir dar uma volta a pé pela sua área de residência ou levar as crianças até aos baloiços. E se ia ao cinema uma vez por mês, encontre uma alternativa e faça uma sessão de cinema em casa com os amigos.

3 – Evite usar o Carro e pondere cada uma das suas deslocações
Durante a semana obviamente que não poderá evitar as suas deslocações habituais de carro para o trabalho, levar as crianças ou ir ao supermercado. Mas fora isso será que para comprar pão tem mesmo de ir de carro? Ou será que tem necessidade de sair de casa aos sábados de manhã – de carro - apenas para espairecer? Planifique todas as suas deslocações de modo a conseguir de uma vez só fazer na rua tudo o que tem de fazer e limitar as distancias e o consequente consumo de combustível.

4 – Controle os impulsos consumistas
Para muitas pessoas comprar uma peça de roupa todos os meses é um hábito tão normal como comprar as mercearias lá para casa. Mas se pensarmos bem ninguém tem necessidade de comprar roupa todos os meses ( e quem diz roupa diz qualquer outra coisa comprada por impulso consumista!) Evite ir até ao shopping durante este mês e resista aos seus impulsos.

5 – Controle a lista de compras e faça um levantamento da despensa e da arca congeladora
Aproveite também este mês sem gastar para fazer o máximo da sua despensa e arca congeladora. Programe refeições com tudo o que tem em casa e vá apenas às compras para comprar as restantes coisas como a fruta, os legumes ou os iogurtes. Se por norma compra refrigerantes e sumos não os compre durante este mês e faça também um controle mais apertado a todos os alimentos processados como por exemplo as bolachas, as refeições pré-preparadas, os gelados e outras guloseimas. Deixe-as apenas para os dias de festa uma vez que também não fazem falta à sua mesa.

6 – Atividades em família: Brinque com os seus filhos
Há tantas coisas que se podem fazer sem que isso implique gastar dinheiro. Deixe-os fazer desenhos à vontade, pinturas e até colagens com revistas antigas. Aproveite latas ou frascos, tecidos e tudo o mais que tenha em casa e que possa ser aproveitado para brincar. Por exemplo, faça uma tenda na sala com mantas e lençóis velhos e deixe-os dormir lá por uma noite.

7 – Faça ou Aprenda a fazer em vez de mandar fazer ou comprar feito
Em vez comprar rissóis já prontos a fritar, aprenda a fazer os seus. Há imensos blogues e vídeos que o podem ensinar a fazer. Em vez de ir com o carro à lavagem automática lave-o em casa com balde e esponja. Aprenda a fazer as bainhas das suas calças e das crianças. Passe a sua roupa a ferro em vez de mandar para a engomadoria. Trate da sua depilação em casa e aprenda a arranjar o seu próprio cabelo.

8 – Marmita: este é o mês de levar a marmita
Não podemos falar de um mês sem gastar se não contabilizarmos os almoços que podemos levar de casa. Se nunca o fez, se nem sequer pensava em fazer tal coisa esta é a oportunidade de finalmente por em prática. Faça sempre mais quantidade ao jantar já a contar com os almoços do dia seguinte. E conte também os lanches – os seus e o das crianças. Acorde com elas que este mês vão ter de levar todos os dias lanche de casa e que não há dinheiro extra para snacks no bar da escola.

9 – Atenção ao desperdício Alimentar (Passe o frigorífico em revista todas as semanas)
Mesmo com uma lista de compras controlada, e as refeições planeadas acontece deixarmos estragar algumas coisas. Dê sempre uma vista de olhos ao seu frigorífico e veja tudo o que está a necessitar de ser consumido. Se há fruta a ficar demasiado madura é esta a primeira que tem de ser consumida, ou então congele ou aproveite para bolos e batidos. O mesmo se aplica aos legumes: congele ou transforme-os numa sopa, quiche ou tortilha para o jantar ou para o almoço da marmita. Muitos restinhos em caixas plásticas podem também ser transformados numa nova refeição. Antes de fazer uma refeição nova tenha a certeza de eu não tem outra alternativa para o jantar e assim evitar o desperdício e o consequente gasto adicional.

10 – Faça contas e veja quanto não gastou
A melhor maneira de perceber quanto deixou de gastar neste mês é ter uma noção de, em meses anteriores, saber exatamente quanto gastou em coisas supérfluas. Depois faça um reflexão e veja quais são as coisas sem as quais consegue perfeitamente viver e pelas quais nem deu falta. E, se for o caso, adapte-se."

Sem comentários: