Mamã convidada - Rúbrica 4


A Carla é uma amiga querida, é a madrinha da Carolina, é enfermeira, e mãe do Vicente, com 27 meses! Foi mãe mais cedo do que tinha imaginado mas hoje tem a certeza que foi na melhor altura! Deixa-nos aqui o seu testemunho de maternidade. 

"Resumo de dois anos de Vicente… 
…um bebé que nasceu a 19 Junho 2010, 2840g de gente, calmo e encantador, para fazer as delícias dos papás!Foi uma gravidez tranquila, sem complicações, alguns receios (faz parte) e um parto normal que não podia ter corrido melhor. Pós parto excelente, amamentação sem intercorrências, Vicente a comer bem, a dormir razoavelmente (nenhuma noite em claro até hoje) e meio caminho andado para mamã e bebé felizes. Bagagem tirada duma licenciatura em enfermagem e tantas experiências com babies (impensável com 20 anos já ensinava os pais a dar banho aos seu recém-nascido) dum curso de preparação para o parto muito completo e principalmente daquele instinto inerente a qualquer mãe apaixonada. 
Foram 5 meses em casa, um mundo de descobertas, algo novo e fascinante que nunca pensei viver tão cedo, fui mãe aos 26 e nunca tinha idealizado sê-lo antes dos 30… mas cada vez mais percebo que foi na altura e momentos certos. Dediquei-me desde o primeiro mês ao ginásio e à recuperação pós parto e sempre que podia levava o Vicente que cedo também começou com actividades como o babyoga e natação. Quando não o levava ficava com as avós, apoio fundamental desde que o Vicente nasceu (há que aproveitar os recursos).Dias inteiros passados com Vicente…o tempo não passou…voou!!!  
O regresso ao trabalho foi duro.Sou enfermeira e digamos sou uma pessoa muito descontraída! Portanto pensei que o regime de turnos seria fácil, não foi mas consegui e sinto orgulho nisso… até aos 15 meses do Vicente, altura em que entrou para a escolinha, consegui sair para fazer turnos da noite, voltar e ficar o dia inteiro a tomar conta do meu menino! Quando adormecia não consegui eu dormir! Ao fim do dia estava esgotada…nada como o apoio dum pai fantástico! Cerca de duas vezes por semana fazia o turno da manhã e aí ele ficava com a avó paterna até ao meu regresso (por volta das 14h30 até aos 12 meses e por volta das 16h30 até aos 15 meses)… O turno da tarde…esse trocava sempre pela manhã…a hora do banho, o adormecer…eram momentos que não queria perder!  
Hoje em dia ainda troco as tardes…não há nada como ir buscá-lo à escola todos os dias e ver aquele sorriso contagiante…depois de mostrar a sua alegria pela minha chegada a saltar ou a dançar, corre e abraça-me e eu sinto-me a pessoa mais feliz do mundo! Há acordo com pai…ele leva-o e eu vou buscá-lo (há excepções claro). Quando saio para fazer noite ou nos fins de semana de trabalho, despede-se e diz sempre: "mamã vai trabalhar" e eu sinto-me confiante porque sei que fica com a melhor companhia.Trabalhar por turnos é complicado, é cansativo, mas por outro lado dá-me também uma disponibilidade e flexibilidade fora do comum. Sempre que precisa estou lá sem ter que faltar ao trabalho porque posso sempre trocar. Está comigo muito tempo diário, vou buscá-lo bem cedo e brincamos bastante até à hora do "óó". A gratificação compensa o cansaço! É a maneira que encontro de ter o meu tempo, o meu espaço, sentir-me bem e consequentemente o Vicente estar bem. E lá isso está…é uma criança activa, extrovertida, muito faladora e sociável e que todas as noites, a meio da noite, se levanta da sua caminha… e lá se ouvem os passos e lá vem ele acompanhado do seu doudou e pêpe (chupeta) e deita-se no meio dos pais. Achamos que precisa duma cama maior…um dia destes veremos se resulta!"

Sem comentários: